Histórico: Veja as marcas que CR7 alcançou em Sochi

A exibição de sonho de Cristiano Ronaldo traduzida em números

Cristiano Ronaldo colocou finalmente a sua marca na fase final de um Campeonato do Mundo. Três golos à Espanha, em Sochi, e uma exibição de sonho foram a rampa de lançamento para o que poderá ser a carreira de Portugal na Rússia.

Para já, CR7 lidera a lista de melhores marcadores do Mundial 2018 e reforça a candidatura à Bota de Ouro, que distingue o jogador que mais golos marca na fase final. Mais complicado parece ser bater o recorde de golos num só torneio, que pertence ao francês Just Fontaine, que em 1958 chegou aos 13 remates certeiros. Mais acessível é apanhar os nove golos de Eusébio no Mundial de 1966.

Neste momento, já ninguém lhe tira o facto de ser o segundo melhor marcador de seleções de sempre, em igualdade com o húngaro Ferenc Puskas. Chegou aos 84 golos e agora persegue os 109 do líder deste ranking, o iraniano Ali Daei.

Desses 84 golos com as quinas ao peito, 17 foram em fases finais de grandes competições. Aliás, Ronaldo marcou em todas aquelas em que participou: nove em Europeus, seis em Mundiais e duas na Taça das Confederações. Além disso, igualou Eusébio e Pauleta como jogadores portugueses que marcaram três ou mais golos num jogo de Campeonato do Mundo.

Já igualou recorde de Pelé

A contabilidade de Ronaldo foi ontem aberta aos 134 segundos através de um penálti cometido por Nacho, que foi o terceiro mais rápido da história da competição, apenas superado por Johan Cruyff (por falta de Hoeness) aos 55 segundos, em 1974, e pelos 85 segundos de Robben (falta de Thiago Silva) em 2014.

E assim que bateu o guarda-redes David De Gea igualou um recorde que estava na posse do lendário Pelé, em igualdade com os alemães Uwe Seeler e Miroslav Klose. Todos eles marcaram em quatro fases finais de Mundiais.

O quinto hat-trick de Cristiano Ronaldo ao serviço da equipa das quinas representou ainda para a seleção espanhola um pesadelo que nunca tinha tido numa fase final de uma grande competição, pois nunca ninguém tinha cometido tal proeza diante de nuestros hermanos.

Mas há mais. Os 33 anos de CR7 tornaram-no o segundo jogador mais velho de sempre a marcar três golos num Mundial, apenas superado pelo sueco Tore Keller, em 1938, frente a Cuba.

Quando faltavam dois minutos para os 90", Cristiano Ronaldo teve à sua disposição uma falta em zona frontal que aproveitou para transformar no golo do empate. Foi o seu oitavo remate certeiro de livre direto, mas apenas o primeiro em fases finais de grandes competições de seleções.

O primeiro capítulo da história de Ronaldo no Mundial 2018, na Rússia, está escrito a letras de ouro. Foram três golos em quatro remates à baliza espanhola. Nas outras três fases finais anteriores, precisou de 26 tiros para fazer um golo em 2006, tendo necessitado de 22 remates nas edições de 2014 e 2010 para marcar também por uma vez em cada um desses torneios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG