Schumacher volta a Spa, desta vez através do filho

Mick Schumacher vai homenagear o pai, conduzindo o Benetton com que Michael ganhou o seu primeiro título de campeão

À entrada para o fim de semana em que se corre o 50.º Grande Prémio de Fórmula 1 disputado em Spa-Francorchamps, evocam-se memórias de uma pista mítica que faz parte da história do nascimento da F1, tendo integrado o calendário de sete provas do primeiro campeonato do mundo, disputado em 1950. De então para cá, o GP da Bélgica repartiu-se também pelos circuitos de Zolder e de Nivelles, mas desde 1985 voltou a fixar-se nesta que é atualmente a mais longa pista do mundial (7 km).

Entre os nomes e episódios que ajudaram a construir a história de Spa-Francorchamps na Fórmula 1, há no entanto uma figura que se eleva sobre as demais: o alemão Michael Schumacher, o maior campeão de sempre da disciplina máxima do desporto automóvel, heptacampeão mundial, cujo nome ficou intimamente ligado ao do circuito belga.

Foi em Spa-Francorchamps que Michael Schumacher se estreou na Fórmula 1, em 1991, ao volante de um Jordan que teve de abandonar logo na primeira volta, por problemas mecânicos, mas que o jovem Schumi tinha levado até uma surpreendente sétima posição da grelha na qualificação.

Foi também em Spa, um ano depois, que o germânico celebrou a primeira das suas 91 vitórias em corridas de F1, então já ao volante de um carro da Benetton, equipa com a qual se sagraria campeão pela primeira vez, em 1994.

Ora, é precisamente esse Benetton-Ford F1 B194, com o qual Schumacher ganhou o seu primeiro título, que o seu filho Mick (atual piloto da F3 europeia), de 18 anos, vai conduzir neste domingo, antes do início do 50.º Grande Prémio de F1 em Spa-Francorchamps, numa exibição de homenagem ao pai, assinalando os 25 anos da primeira vitória de Michael Schumacher na competição.

O ex-piloto alemão, que continua a recuperar sob grande secretismo, na sua casa na Suíça, de um grave acidente de esqui nos Alpes franceses que o deixou em coma no final de 2013, permanece como o recordista de triunfos neste traçado belga, com seis vitórias, e foi também o único a garantir um título de campeão em Spa, em 2004.

Neste ano, Schumacher tem um dos seus recordes na Fórmula 1 sob ameaça no circuito belga. Hoje, na qualificação, Lewis Hamilton pode igualar a marca de 68 pole positions do alemão. O piloto inglês da Mercedes, que fará na Bélgica o seu 200.º Grande Prémio, foi ontem o mais rápido nos treinos livres, até aparecer a chuva - uma das tradições de Spa-Francorchamps.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG