Schmidt lança desafio: "Temos de mostrar que merecemos a Champions"

O treinador do Benfica quer a sua equipa a jogar "a um grande nível" frente ao Dínamo Kiev. Para isso já conta com David Neres que está apto e "será importante para desequilibrar".

Roger Schmidt, treinador do Benfica, anunciou esta terça-feira que o extremo brasileiro David Neres "está recuperado" e "pronto" para defrontar o Dínamo Kiev, na primeira mão do play-off da Liga dos Campeões, marcado para esta quarta-feira (20.00 horas, TVI e Eleven), no estádio Miejski Wladyslawa Króla, na cidade polaca de Lodz, casa emprestada dos ucranianos devido à guerra.

O técnico do Benfica admitiu que David Neres é "um jogador muito importante" para estes jogos com o Dínamo Kiev, afinal "é forte no um para um e, como tal, será sempre importante para desequilibrar" os jogos. Esta ideia foi transmitida na curta entrevista à BTV, antes da conferência de imprensa, onde não deu certezas sobre se irá dar a titularidade ao extremo contratado ao Shakhtar Donetsk, principal rival do Dínamo, onde nunca chegou a jogar por causa da invasão da Rússia à Ucrânia. "Está a 100% e volta a ser uma opção", limitou-se a dizer o técnico de 55 anos.

Schmidt deixou entretanto claro que o Benfica estará focado sobretudo naquilo que pode fazer neste primeiro jogo e, nesse contexto, lançou um desafio à sua equipa. "Temos pela frente um grande objetivo que queremos alcançar, por isso temos de mostrar que somos melhores e que queremos jogar a Liga dos Campeões", sublinhou.

Sobre a estratégia, o treinador dos encarnados mostrou-se algo cauteloso. "Vou tentar preparar a equipa o melhor possível", começou por dizer, para depois dizer que o Benfica terá de "atacar bem" e "estar preparado para defender". "Não temos de fazer nada de especial, apenas acreditar em nós e fazer um bom jogo", resumiu, lembrando que "para o clube, os jogadores e os adeptos seria bom jogar na Champions".

Para chegar à fase de grupos, é preciso ganhar a eliminatória com o Dínamo Kiev, sendo que a segunda mão é na próxima semana (terça-feira) no Estádio da Luz. Roger Schmidt desvalorizou o facto de tudo ser decidido em Lisboa, lembrando que o Benfica consumou o apuramento na Dinamarca e que, nas duas anteriores eliminatórias, os ucranianos seguiram em frente com o Fenerbahçe e o Sturm Graz fazendo igualmente a segunda partida fora. "Temos é de nos focar neste primeiro jogo", frisou, garantindo que está à espera de "um adversário muito motivado".

Gonçalo Ramos poupado no treino

"Não é fácil jogar com o Dínamo, pois trata-se de uma equipa de qualidade, fisicamente forte e com uma boa mentalidade", disse o alemão, que sobre as ausências dos médios Sydorchuk e Garmash, ambos por castigo, disse tratarem-se de jogadores importantes, embora não tenha identificado se o treinador Mircea Lucescu irá apresentar um sistema de três centrais ou uma linha defensiva de quatro jogadores. "Não sei qual será a abordagem tática que vão apresentar, espero sobretudo um bom adversário", disse, desvalorizando o facto de o Dínamo só ter jogado quatro jogos oficiais esta época. "A chave é acreditarmos em nós próprios e jogarmos taticamente a um grande nível", sublinhou.

Uma das dúvidas que se levanta no onze do Benfica é sobre quem irá jogar como defesa-direito. Schmidt, no entanto, não deixou escapar qual será a sua aposta. "O Gilberto marcou o primeiro golo da época e na última partida estava um pouco cansado e dei mais tempo ao Bah que também esteve bem. Vamos ver quem jogará", disse antes de voltar a reforçar a sua ideia para este jogo: "A situação é muito clara. Só uma equipa irá à fase de grupos da Champions e nós queremos ser essa equipa."

Já depois da conferência de imprensa, o Benfica realizou uma sessão de treino no relvado do jogo e ficou a saber-se que Gonçalo Ramos fez apenas trabalho de ginásio, mas de acordo com os encarnados foi apenas por precaução.

Quem estará por certo no onze é João Mário que assumiu o desafio de a equipa tentar "entrar fortes desde o início" do jogo com o Dínamo. Questionado sobre a possível contratação de Ricardo Horta, deixou uma resposta curiosa: "Gostava muito que viesse porque poderia ajudar-nos muito."

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG