Rúben Amorim. O treinador obstinado que nasceu no Casa Pia

O treinador que levou o Sporting ao título 19 anos depois, começou a sua carreira há três épocas. Entra na história do clube de Alvalade aos 36 anos.

O treinador Rúben Amorim, que esta terça-feira se sagrou campeão nacional da I Liga pelo Sporting, teve um início de carreira de rompante, agregador e obstinado no Casa Pia.

Se o Sporting demorou 19 anos para voltar a ser campeão, o antigo jogador Rúben Amorim precisou de muito menos tempo como treinador, arrebatando o cetro nacional na sua primeira época completa num clube.

Foi há escassas três temporadas que Rúben Amorim deu os primeiros passos como treinador. Chegou ao Casa Pia, por intermédio do então diretor desportivo dos 'gansos' Carlos Pires, hoje ao serviço do Real Sport Clube, de Massamá, para fazer um estágio e rapidamente agregou toda a equipa técnica e todo o plantel, que teve o cunho do agora campeão nacional.

Mas, na época de estreia, em 2018/19, o Casa Pia conquistou o Campeonato de Portugal, já com Luís Loureiro como treinador, ao bater o Vilafranquense na final, no Estádio Nacional, em Oeiras, por 4-2 nas grandes penalidades, depois da igualdade 2-2 no prolongamento.

Os casapianos chegaram a esta fase depois de o clube ter sido penalizado com uma multa de 14 mil euros, a derrota em dois jogos e cinco jogos à porta fechada, pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), porque o técnico, então estagiário, deu indicações no triunfo frente ao Real Massamá [3-2, em 13 de janeiro de 2019].

Antes de a pena ter sido revertida, pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), em maio, o antigo jogador de Benfica, Sporting de Braga e Belenenses, que também foi multado em 2.600 euros, após uma queixa da Associação Nacional dos Treinadores de Futebol (ANTF), deixou o Casa Pia, para não prejudicar a equipa e o clube.

"No Casa Pia, fomos campeões por ele, mesmo depois de ele ter ido embora. Ele consegue mostrar aos jogadores o que têm de fazer dentro do campo", explicou à Lusa o avançado brasileiro Evandro Roncatto, que também dividiu o balneário com Rúben Amorim no Belenenses, então sob a orientação de Jorge Jesus, em 2007/08.

É precisamente esta capacidade de chegar aos jogadores que é evidenciada por Roncatto, campeão do mundo de sub-17 em 2003, e pelo presidente do Casa Pia, Vítor Seabra Franco.

"Tínhamos um treinador e o diretor desportivo, Carlos Pires, perguntou-me se havia inconveniente de ele fazer o estágio. Aceitámos, era um antigo jogador internacional. Às tantas, já não sabia quem era o treinador. O treinador, em termos teóricos, era o José da Paz. Ele [José da Paz] não é pessoa para puxar galões e percebeu que com o Rúben era outra coisa", vincou o dirigente.

Por ser um nome conhecido de todos, por ter jogado no Benfica e na seleção nacional, Vítor Seabra Franco admitiu que não lhe podia negar a possibilidade estagiar no Casa Pia, mas rapidamente se percebeu que havia em Rúben Amorim algo de diferente.

"Bastava olhar para quem ele era para perceber. A forma correta de trabalhar com os jogadores. Iam todos para o mesmo lado. Ele incute nos jogadores que é tudo um grupo. Era um balneário coeso. Ele é um líder. E não admite a mínima interferência no trabalho dele. Assume os riscos", revelou o presidente.

Se, por um lado, Vítor Seabra Franco considera Rúben Amorim mais completo do que Sérgio Conceição e do que Jorge Jesus, Evandro Roncatto vê algumas semelhanças com o atual treinador do Benfica.

"Ele tem muita coisa de Jorge Jesus. Só que depois ele é diferente dos outros treinadores, sem lhes tirar o mérito. Ele é novo, fala a língua dos jogadores, do balneário. E os jogadores conseguem perceber a ideia, a maneira como a equipa joga e o clima que ele cria no balneário. Se perguntarmos aos jogadores que ele treina, todos vão dizer que vão dar a vida por ele", assegurou Roncatto, de 34 anos.

O avançado, atualmente no Pinhalnovense, reconheceu ter sido inicialmente "estranho" ter sido treinado por um antigo colega, mas que foi por Rúben Amorim, e também pela família, que recusou uma proposta financeiramente mais vantajosa da Grécia para assinar pelo Casa Pia, na altura no Campeonato de Portugal.

Já como treinador do Sporting, depois das passagens pelas equipas B e principais de Sporting de Braga, justificou parte do sucesso com a presença de "uma estrelinha".

E é por causa disso, mas não só, que Roncatto e Seabra Franco acreditam que Rúben Amorim não se vai ficar pelo sucesso interno.

"Quando fomos campeões, não havia nenhuma equipa que jogasse como jogávamos. Era um futebol bonito. É mais ou menos o mesmo esquema tático que joga hoje no Sporting e que aplicou no Sporting de Braga. Não basta ter a 'estrelinha', o trabalho dele mostra muita coisa", insistiu Roncatto.

Por sua vez, Seabra Franco destacou não só a capacidade técnica, mas sobretudo as qualidades humanas de Amorim.

"Via-se que ia subir na vida. Mas eu não pensava que seria com esta rapidez. Acredito que ele não vá ficar por aqui. Acho que ele se vai aguentar bem. Tem um bom fundo humano e isso é importante. Ele não distingue os jogadores. Não são os nomes que jogam. Não se metam no trabalho dele. Ele é que controla as coisas. O patrão é ele. Ele consegue, com a maneira de ser, unir o grupo. É a maneira como vê as coisas. E eu acho que Rúben Amorim está certo", defendeu.

Sem nunca esquecer onde se estreou como treinador, não raras vezes Rúben Amorim relembrou, em conferências de imprensa, a sua experiência no Casa Pia.

O dirigente do clube reconhece que "não tem falado muito" com Rúben Amorim, admitindo que "falaria mais se ele tivesse apertado, porque é nas dificuldades que se veem os amigos", enquanto Roncatto tem mantido o contacto, por mensagem, até pela ligação de quase 13 anos.

"Ele responde sempre. Neste último jogo, ele estava com lágrimas nos olhos, eu disse-lhe que eram lágrimas de campeão. Ficou mais difícil estar com ele por causa da pandemia. Ele agradece-nos sempre porque fomos nós quem deu início à carreira dele. E eu digo-lhe que o sucesso dele é fruto do trabalho dele", rematou Roncatto.

Instado a dirigir-se ao agora campeão nacional, Roncatto partilhou o pressentimento que teve quando assinou pelos 'leões': "Lembras-te da minha primeira mensagem? Parabéns! Conseguiste".

O Sporting sagrou-se hoje campeão português de futebol pela 19.ª vez, 19 anos após a última conquista, ao vencer na receção ao Boavista, por 1-0, com um golo de Paulinho, aos 36 minutos do jogo da 32.ª jornada da I Liga.

Quando faltam duas jornadas para o fim do campeonato, os 'leões' somam 82 pontos, mais oito do que o FC Porto, segundo classificado, que detinha o título.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG