Ronaldo pediu a Santos para jogar até ao fim

Capitão da seleção acabou por marcar os dois golos da reviravolta frente ao Egito

Não é caso inédito, mas é muito pouco habitual ver Cristiano Ronaldo cumprir um jogo completo nos particulares da seleção nacional, como aconteceu na sexta-feira em Zurique. Segundo apurou o DN, foi o capitão que pediu ao selecionador para jogar os 90 minutos com o Egito (2-1), acabando por ser o responsável pela reviravolta, com dois golos em dois minutos, já depois dos 90 minutos.

Foi já no decorrer da segunda parte, e depois de Salah marcar para o Egito, que Fernando Santos, numa paragem de jogo, procurou saber como estava o jogador do Real Madrid, tendo o capitão dado sinal que estava bem para continuar e dar a volta ao jogo. Ainda segundo soube o DN, é habitual o selecionador trocar ideias com Ronaldo para gerir o esforço do melhor do Mundo, por vezes ao intervalo, outras vezes no decorrer do jogo, como aconteceu desta vez. O extremo quis ficar a ajudar a dar a volta a um resultado negativo, o que acabou por acontecer.

Este foi apenas mais um exemplo de altruísmo do capitão, sabendo da importância moral para Portugal, como Campeão Europeu, não entrar na preparação para o Mundial 2018 a perder.

"O Cristiano Ronaldo é isto. É golo, é golo." O comentário de Fernando Santos após a vitória contra o Egito define na perfeição a importância de CR7 na seleção nacional. Desde 2003, ano em que se estreou pela equipa das quinas, os golos de Ronaldo foram decisivos para o resultado final em 18 jogos (entre partidas oficiais e particulares, contabilizando vitórias e empates). O primeiro que valeu pontos aconteceu em 2005, na fase de apuramento para o Mundial 2016, ao apontar o único do triunfo frente à Estónia. De então para cá, foram mais 17 partidas com tentos decisivos do capitão português, com especial destaque para o play-off do Mundial 2014, onde marcou o golo da vitória sobre a Suécia na Luz por 1-0 e carimbou o passaporte para o Brasil no jogo da segunda mão, em Estocolmo, ao apontar os três golos da vitória (3-2).

No total, contabilizados os dois apontados ao Egito anteontem, Ronaldo atingiu já os 81 golos de quinas ao peito, em 148 jogos disputados. Neste momento, e a nível de seleções, só dois jogadores têm mais golos do que o capitão português: o iraniano Ali Daei (109 em 149 jogos) e o lendário Ferenc Puskas (84 em 85 jogos).

Exclusivos