Ronaldo considera Portugal "candidato", mas não faz promessas

Cristiano Ronaldo justificou que o foco tem de estar, acima de tudo, no próprio trabalho e numa equipa "ao melhor nível", que diz ter grande qualidade e com capacidade para ter uma boa resposta na competição.

O internacional português Cristiano Ronaldo considera que Portugal, campeão em título, está entre os candidatos ao título europeu de futebol, mas que não vale a pena fazer promessas.

"Não vale a pena, nem adianta, estar a prometer títulos, nem a fazer prognósticos. Aquilo que posso prometer é que vamos entrar em todos os jogos para ganhar", disse o capitão da seleção, em entrevista à revista 360, da Federação Portuguesa de Futebol.

Cristiano Ronaldo respondia assim à questão de onde espera estar em 11 de julho, o dia agendado para a final do Euro2020, que tem início na sexta-feira e no qual Portugal integra o grupo F, com a campeã mundial França, Alemanha e Hungria.

O avançado, de 36 anos, disse ser óbvio que todos, na seleção, querem estar no Estádio de Wembley, nessa final, com a noção de que o patamar exigido hoje em dia à seleção é natural, pelos mais recentes resultados, mas que tem sido assim desde sempre.

"As expectativas são elevadas porque a seleção nacional tem feito por isso. Vencemos dois títulos muito importantes nos últimos anos e isso traz responsabilidade. Jogamos sempre para ganhar. Não é só de agora, sempre foi assim em todas as gerações", adiantou Cristiano Ronaldo.

Em relação ao grupo de Portugal, que chegou a ser designado de grupo da 'morte', por contar com a campeã mundial em título França e a quatro vezes campeã mundial Alemanha (1954, 1974, 1990 e 2014), e com a Hungria, a ter o fator casa, o avançado desvalorizou.

"São estes adversários que nos calharam e é contra estes que vamos jogar. Respeitamos todas as seleções. Estamos numa fase final de um Europeu, não há jogos fáceis", adiantou.

Cristiano Ronaldo justificou que o foco tem de estar, acima de tudo, no próprio trabalho e numa equipa "ao melhor nível", que diz ter grande qualidade e com capacidade para ter uma boa resposta na competição.

"Somos uma equipa com muita qualidade, atuais campeões da Europa e vencedores da primeira edição da Liga das Nações, ninguém pode esquecer isso. Temos de estar ao nosso melhor nível em cada jogo", analisou.

O futebolista reconheceu ainda que, apesar dos muitos títulos que conquistou na carreira, o Euro2016 "foi o mais importante" que já ganhou, e que está neste Euro2020 "como se fosse o primeiro.

"Estou neste Euro2020 como se fosse o primeiro. Sinto-me tão ou mais motivado do que em 2004, no meu primeiro Campeonato da Europa. Somos os campeões em título e fazemos novamente parte do lote de candidatos à conquista do troféu", disse.

No grupo que estará no Europeu, em que se mistura experiência com juventude, o jogador lembrou que muitos dos mais jovens já têm uma importante experiência internacional e que a grande virtude da seleção "é ganhar jogos".

"Apesar de haver muitos jovens, nota-se que a grande maioria deles já tem uma experiência internacional importante, ao jogar nos melhores campeonatos da Europa", referiu.

Portugal, que é o detentor do troféu, integra o grupo F do Euro2020, juntamente com Hungria, Alemanha e França, tendo estreia marcada na competição para terça-feira, dia 15 de junho, diante dos húngaros, em Budapeste, antes de defrontar os germânicos, em 19 de junho, em Munique, e os franceses, em 23 de junho, novamente na capital magiar.

O Euro2020, que foi adiado para este ano devido à pandemia de covid-19, realiza-se em 11 cidades de 11 países diferentes, entre sexta-feira e 11 de julho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG