Zika, lesões e prioridades. Dez superatletas que não vão aos Jogos

Suspensões por doping, receio do vírus zika, lesões, não conseguir o objetivo da qualificação ou, simplesmente, pelo facto do torneio não estar no topo das prioridades. Conheça as razões de dez grandes estrelas do desporto mundial para não estarem presentes nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro que arrancam a 5 de agosto

Cristiano Ronaldo
Futebol

O internacional português não irá estar presente nestes Jogos Olímpicos (esteve em 2004 na Grécia) e, de resto, a sua presença no Rio de Janeiro nunca esteve prevista. Por um lado, o futebol é uma modalidade cuja importância no contexto dos Jogos é reduzida e isso é visível nas dificuldades que os selecionadores nacionais tiveram em elaborar as convocatórias, com muitos clubes a recusarem ceder jogadores, pelo facto deste torneio não ser uma data FIFA.Por outro lado, mesmo que CR7 quisesse estar presente, ainda se encontra em gozo de férias, depois de se ter sagrado campeão europeu a 10 de julho, e a recuperar de uma lesão. Aos 31 anos, o seu corpo já necessita de muito mais descanso do que há algum tempo atrás, como o próprio já reconheceu publicamente, por isso encurtar as férias nunca seria solução...

Lionel Messi
Futebol

As explicações para a ausência de Lionel Messi poderiam ser semelhantes às de Cristiano Ronaldo: muitos jogos nas pernas e presença em competição até bastante tarde, no seu caso até 27 de junho, quando perdeu a final da Copa América, com o Chile. Mas as razões são como se sabe ainda mais profundas: o astro argentino, pura e simplesmente, renunciou à seleção das pampas, precisamente após a derrota no jogo decisivo da Copa América, no qual falhou um penálti. Farto da desorganização da Federação Argentina de Futebol e desiludido pelo facto de ainda não ter ganho um único grande troféu ao serviço da alvi-celeste, o futebolista do Barcelona anunciou publicamente que não voltará a vestir a mítica camisola dez do seu país. Mas há quem acredite que ainda vai voltar atrás na decisão...

Roger Federer
Ténis

Roger Federer anunciou há poucos dias que não poderá competir nos Jogos Olímpicos, devido a uma lesão num joelho que o vai afastar dos courts até ao final da época. Será assim quase impossível que ainda ganhe uma medalha olímpica, um dos poucos títulos que lhe falta numa carreira recheada de troféus, pois em 2020 terá 39 anos... Mal se soube que o número 3 da hierarquia mundial não ia estar nos Jogos do Rio de janeiro, centenas de bilhetes foram colocados em revenda na Internet. Por outro lado, a presença de Rafael Nadal, número 4 mundial e campeão olímpico em Pequim 2008, não é ainda 100% certa. O espanhol recupera de uma lesão no pulso esquerdo, contraída na terceira ronda do torneio de Roland Garros. Seguiu ontem viagem para o Rio de Janeiro e a forma como irá reagir nos próximos dias será determinante. A sua presença na vertente de pares é certa, subsistem é ainda algumas dúvidas quanto à participação em singulares.

Maria Sharapova
Ténis

Uma das ausências com maior impacto e por razões que chocaram o mundo do desporto. A tenista russa Maria Sharapova foi suspensa por dois anos pela Federação Internacional de Ténis (ITF), na sequência de controlo anti-doping positivo, devido à utilização da substância meldonium, após exame realizado em janeiro, durante o Open da Austrália. A tenista alegou que tomava a substância porque tem falta de magnésio no organismo e para prevenir o histórico de diabetes na sua família, explicação que não demoveu a ITF (ainda agurada decisão do TAS). Como resultado, marcas como a Nike, a Tag Heuer ou a Porsche deixaram de a patrocinar. Sharapova só esteve presente uma vez em Jogos Olímpicos, tendo conquistado a medalha de prata em Londres 2012, embora tenha sido "esmagada" por Serena Williams na final, ao perder por 6-1 e 6-0.

LeBron James
Basquetebol

LeBron James, figura maior dos campeões da NBA Cleveland Cavaliers, é ausência notada na seleção norte-americana, não por estar lesionado mas sim por ter renunciado à presença no torneio. Após o último jogo das finais da NBA, Rich Paul, o seu empresário, escreveu uma carta ao presidente da Federação de Basquetebol dos Estados Unidos, Jerry Colangelo, informando que o seu representado necessitava de descansar de uma época muito desgastante junto da família. LeBron descartou assim a possibilidade de somar a terceira medalha de ouro seguida nas Olimpíadas, depois de outra de bronze conquistada nos Jogos realizados em Atenas 2004. Dos 30 pré-convocados dos Estados Unidos, dez renunciaram a este torneio: LeBron James, Kawhi Leonard, Paul George, Kevin Durant, DeAndre Jordan, DeMarcus Cousins, Russell Westbrook, Stephen Curry, Chris Paul e LaMarcus Aldridge.

Yelena Isinbayeva
Atletismo

Tinha garantido que enquanto houvesse uma ínfima possibilidade de participar nos Jogos Olímpicos não iria desistir, mas o sonho chegou ao fim anteontem. Yelena Isinbayeva, 34 anos, uma das maiores estrelas da história do desporto mundial, é ausência de peso no Rio de Janeiro, ao não conseguir ser uma das atletas russas excecionalmente autorizadas a competir no atletismo, depois do escândalo de doping envolvendo o governo do país e que levou ao afastamento desta modalidade por parte da IAAF (Associação Internacional de Atletismo). A atleta de salto com vara, bicampeã olímpica, confirmou a ausência através do Instagram. "Recebi uma resposta negativa do secretário da Federação Internacional das Associações de Atletismo. Não me deixaram participar, o milagre não aconteceu. Obrigado a todos pelo apoio", escreveu a atleta nas redes sociais. De resto, não está colocada de parte a hipótese de Isinbayeva abandonar definitivamente a modalidade.

César Cielo
Natação

César Cielo, o maior nadador na história do Brasil, vencedor de três medalhas olímpicas e seis títulos mundiais, sofreu a suprema desilusão de não competir nos Jogos Olímpicos que se realizam no seu país. Não por qualquer lesão mas porque, simplesmente, não conseguiu qualificar-se nos 50 metros livres, prova em que obteve o pódio nas duas últimas Olimpíadas. Cesão, como é conhecido, foi ultrapassado pelos compatriotas Ítalo Manzine e Bruno Fratus e após a confirmação da sua ausência, chorou publicamente, mas desejou boa sorte aos seus companheiros: "Dei toda a minha vida, mas infelizmente, não consegui. No entanto, sei que o Brasil vai participar com os dois melhores. Vou torcer o máximo que conseguir", garantiu numa emocionada conferência de imprensa. Já passaram três meses, mas Cielo, de 29 anos, ficou tão abalado com a confirmação da ausência dos Jogos dos Olímpicos que ainda não voltou às piscinas, nem sequer para treinar.

Alberto Contador
Ciclismo

O ciclista espanhol anunciou que não irá conseguir ir ao Rio de Janeiro devido às várias lesões que sofreu na última Volta a França: rotura num músculo da coxa, outra rotura no gémeo esquerdo e várias contusões, em especial no ombro direito. Alberto Contador sofreu duas quedas nas duas primeiras etapas e ainda tentou continuar em prova no Tour, mas acabaria por desistir durante a nona etapa da prova, quando já se encontrava muito longe dos corredores da frente e sem possibilidades de dar-lhes luta. O espanhol explicou que preferiu i totalmente para a Volta a Espanha, que se inicia a 20 de agosto, mas não escondeu uma grande desilusão, pois considerava os Jogos Olímpicos o segundo grande objetivo da temporada, a seguir ao Tour. O norte-americano Tejay van Garderen é outro grande ausente no ciclismo olímpico, pois não quis arriscar a ida ao Brasil devido ao vírus Zika, uma vez que a sua mulher está grávida.

Jason Day
Golfe

O número 1 do ranking mundial de golfe não vai estar presente nos Jogos Olímpicos, com medo do vírus Zika, como anunciou em comunicado, no mês de junho. "A razão para a minha decisão prende-se com a minha preocupação quanto a uma possível transmissão do vírus Zika e os riscos para uma futura gravidez da minha esposa e para os futuros membros da nossa família", referiu. De resto, oito jogadores do top-20 mundial não vão ao Rio de Janeiro e quase todos invocaram a mesma razão que Jason Day, precisamente no ano que fica marcado pelo regresso da modalidade nos Jogos Olímpicos, após uma ausência de... 102 anos! O receio do Zika pode não ser a única razão, a avaliar pelo pensamento de Rory McIlroy, outro dos grandes ausentes: "O golfe não está entre os desportos importantes nos Jogos e entrei na modalidade essencialmente para ganhar torneios". Traduzindo, poderá ser qualquer coisa como os Jogos Olímpicos não dão pontos para o ranking nem prémios em dinheiro...

Javier Gómez
Triatlo

Cinco vezes campeão do mundo de triatlo (três vezes consecutivas nos últimos anos) e quatro campeão europeu, Javier Gómez sofreu uma queda num treino de bicicleta no início do mês e fraturou o braço esquerdo. "É difícil de aceitar como, de repente, se vai todo o esforço e ilusão que colocava nestes Jogos. É o momento mais duro da minha vida desportiva", lamentou. Ainda não será desta que conquistará o último grande título que lhe falta: uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, depois da prata que conseguiu há quatro anos, nas Olimpíadas de Londres. E uma vez que já conta com 33 anos, possivelmente nunca mais terá a possibilidade de concretizar esse sonho.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG