João Costa: "Televisões é que mandam nas salas da final do tiro"

Atirador português queixa-se das condições da sala da final de tiro. Câmaras de televisão e luzes dificultam a prestação dos atletas

O atirador português João Costa lamentou esta quinta-feira que a sala da final do tiro dos Jogos Olímpicos Rio2016 tenha demasiada luz, considerando que quem manda são as televisões e não os atletas.

"Na sala das finais, que eu espero visitar e dar uns tiros, quem manda não é o atleta nem a parte desportiva, mas as câmaras de televisão. Têm uma determinada luz, eles filmam em 4K... tem muita luz. Nós nunca disparámos naquele tipo de luz e os que lá forem vão ter algumas dificuldades", disse.

O mais velho atleta da comitiva portuguesa, de 51 anos, disse que já conhecia o local da prova e referiu que "se há uma comissão técnica da Federação Internacional que diz que sim", que o local da prova tem condições, "é porque está tudo dentro das regras".

"Nessa altura (da prova), não estou a pensar na luz sequer, tenho de me concentrar na parte técnica do tiro", garantiu João Costa, que, nos seus quintos Jogos Olímpicos, vai novamente participar nas provas de pistola de ar comprimido a 10 metros e na pistola livre a 50 metros.

No Rio2016, contudo, João Costa não irá estar na cerimónia de abertura, na sexta-feira, porque vai entrar em ação no dia seguinte e o regresso do Maracanã é tarde.

João Costa falava à margem da cerimónia do hastear da bandeira portuguesa na zona internacional da Aldeia Olímpica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG