Rico e poderoso Timisoara chegou e sobrou para heroico CDUL

Os campeões nacionais foram batidos esta tarde de sábado, no Universitário de Lisboa, pelos romenos do Timisoara Saracens, por 47-10 para a 2.ª jornada da Continental Shield.

A concluir uma semana na qual as equipas portuguesas foram dizimadas nas competições europeias de futebol (5 derrotas noutros tantos jogos) a Europa voltou a ser madrasta esta tarde, agora na bola oval, com o campeão nacional CDUL - que há uma semana surpreendera ao ir a Itália derrotar o Viadana, por 19-14 na ronda inaugural da Continental Shield (3.ª prova na hierarquia europeia) - a ser batido sem apelo pelos romenos do Timisoara Sarracens, por claros 47-10.

Há um mundo a separar os campeões portugueses da equipa tricampeã romena, totalmente profissional (impressionante a quantidade de elementos que incluem o seu staff técnico!), com um orçamento de 2,5 milhões de euros e que no quinze titular albergava oito estrangeiros (de tonguianos a samoanos, passando por um neozelandês, um sul-africano e um irlandês, todos de bom nível). E apesar de toda a entrega e excelente atitude dos universitários - bem coletivamente e com algumas exibições individuais de grande nível, como o heróico 2.ª linha Vladimir Grikh, Bruno Medeiros, Rafael Simões, Tomás Appleton e Martson - a diferença entre as duas equipas foi por demais evidente desde o apito inicial do árbitro italiano (que muito ajudou, e sem necessidade, a equipa mais forte...).

Poderosos fisicamente e com um ritmo impressionante os romenos do Timisoara entraram decididos a tomar conta do jogo e a cavar cedo a evidente distância entre as duas equipas. Ora nem estavam decorridos 3' e sem que qualquer jogador português tivesse sequer tocado na bola (!), surgia o ensaio inaugural forasteiro por intermédio do abertura Hunt (0-7).

O CDUL reagiu de pronto e depois de uma boa e longa sequência à mão, só uma perda infantil de bola em cima da área contrária impediu o centro Joey Marson de igualar a partida. Mas com o domínio absoluto das mêlées, jogando a toda a largura do terreno com avançados e três-quartos bem interligados (bela equipa a do australiano Matt Williams, forte candidata à final da prova que será em Bilbao em maio do próximo ano) e sem levantar o pé do acelerador, o Timisoara faria mais dois ensaios antes dos 20' (0-21).

Até que aos 26' o CDUL conseguia perfurar por uma vez a defesa adversária com o ponta Gonçalo Foro a marcar junto à bandeirola concluindo uma nova sequência com muitas fases da equipa de Jack Farrer (5-21).

Mas à beira do intervalo e para lá de todo o domínio romeno a equipa portuguesa resolveu oferecer o quarto ensaio, com embrulho, laço e tudo. Touche do CDUL nos seus 5 metros muito mal metida e no fim do alinhamento o asa Doyle nem teve que saltar para captar a oval e mergulhar para os 28-5 no descanso!

A 2.ª parte começou logo com o segundo ensaio nacional de autoria do centro Tomás Appleton. Demorado ataque romeno, bola bem roubada à saída dos nossos 22 e um sprint impressionante de 80 metros (que contou com a ajuda preciosa do outro centro Matson) para um ensaio de 'praça a praça' que fez levantar o estádio (10-28).

A partir daí o Timisoara continuou por cima do jogo mas com menos intensidade e com o CDUL empenhado a exibir-se de forma adulta, muito concentrado defensivamente, mas por vezes com mais coração que cabeça, pois pedia-se nalgumas ocasiões mais jogo tático ao pé e a equipa nunca abdicou - é o seu ADN - de tentar perfurar sempre à mão a bem estruturada defesa adversária.

Valeu o imenso esforço, sem dúvida, mas de pouco serviu pois com mais três ensaios obtidos, o Timisoara Saracens, sem forçar, fechava em beleza a sua deslocação a Lisboa, vencendo e convencendo por 47-10.

A prova é agora interrompida, regressando a 3.ª jornada a 19 de dezembro com o CDUL a viajar de novo até Itália, agora para enfrentar o Rovigo Rugby.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG