Ricardinho marca seis em goleada de recordes ao Panamá

Portugal goleou o Panamá e está praticamente nos 'oitavos' do Mundial

Uma atuação 'enorme' de Ricardinho, autor de seis golos, embalou terça-feira Portugal para uma goleada por 9-0 sobre o Panamá, numa jornada de recordes rumo aos oitavos de final do Mundial de futsal.

O melhor do Mundo espalhou magia em Cali, com cinco golos na primeira parte e mais outro e uma assistência na segunda, passando a ser o melhor marcador de sempre da equipa das 'quinas' (113) e também o recordista num só jogo da principal competição de seleções e no total das fases finais (15).

Cardinal, que havia salvado Portugal da derrota na estreia (1-1 com a Colômbia), graças a um golo em cima do minuto 40, 'bisou', antes de se lesionar, e Miguel Ângelo também marcou, no que foi a maior goleada de sempre de Portugal em Mundiais e, para já, o resultado mais expressivo da presente edição.

Matematicamente, os comandados de Jorge Braz ainda não estão nos 'oitavos', mas só mesmo nesse capítulo, pois, com quatro pontos e 10-1 em golos, a passagem é uma certeza, até porque só falta o Uzbequistão, que perdeu 3-1 com o Panamá.

Portugal fecha a sua participação no Grupo A na sexta-feira (02:00 de sábado em Lisboa) e, então, já estará, certamente, apurado e jogará apenas pelo primeiro lugar com a Colômbia, que, à mesma hora, defronta os panamianos.

Depois de ter demorado 40 minutos a marcar um golo na estreia, Portugal só precisou de 12 segundos para faturar face ao Panamá. Numa reposição lateral, João Matos colocou em Ricardinho, que apontou de pé esquerdo o golo mais rápido de sempre da equipa lusa em Mundiais.

Muito pressionante, rápido e dominar absoluto, o conjunto de Jorge Braz foi somando oportunidades e, com 4.30 minutos, chegou ao segundo tento, na sequência de mais um pontapé lateral, desta vez com Tiago Brito a servir Cardinal.

Num embate de sentido único, Ricardinho 'bisou' aos 7.08 minutos, depois de uma rápido contra-ataque de Bruno Coelho, para, aos 9.21, 'bisar' Cardinal, após nova assistência de João Matos, com um passe longo.

O 'hat-trick' de Ricardinho chegou aos 10.55 minutos, após tabela com Cardinal, que acabou por sair lesionado aos 12.30, com queixas num joelho, tendo de ser ajudado a sair da quadra. Desconhece-se a gravidade da lesão.

Apesar da saída do '7', Portugal continuou em 'grande', apoiado na magia de Ricardinho, que marcou dois golos de 'rajada' de livre direto (16.15 e 16.30 minutos) e serviu Miguel Ângelo para um bonito oitavo (17.46).

Nos últimos minutos da primeira parte, os panamianos ameaçaram marcar, mas nem de livre direto conseguiram, já que Vítor Hugo saiu do banco para defender o remate de Jorge Perez, após Djô cometer a sexta falta lusa.

A segunda metade começou com Portugal ainda a querer mais, nomeadamente Ricardinho, que só demorou 1.20 minutos a chegar ao seu sexto golo no jogo, o terceiro luso após uma reposição lateral, agora após passe de Pedro Cary.

Os dois dígitos pareciam uma questão de tempo, mas Portugal desacelerou, o jogo equilibrou e o 10.º golo acabou por não surgir, sendo que Ricardinho, Fábio Cecílio, a passe do 'magico', e Ré ainda acertaram nos 'ferros', enquanto, do outro lado, Babé manteve o 'zero' na sua baliza.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG