"Rafael Leão tem tudo para ser uma referência do Sporting e da seleção"

Pedro Gonçalves, antigo treinador do jovem leonino, não está surpreendido com a rápida afirmação do avançado e espera ainda mais

O golo que Rafael Leão marcou no Dragão e a forma descomplexada como se tem exibido na equipa do Sporting tem surpreendido muita gente mas não Pedro Gonçalves, que o treinou no escalão de sub-16 dos leões. "Estamos a falar de um miúdo de 18 anos, mas já estava à espera desta rápida afirmação, dado o seu talento e o facto de nunca ter tido receio de nada. É perfeitamente natural que esteja a ser utilizado por Jorge Jesus, embora se deva realçar a coragem em apostar num jogador tão jovem", começou por referir ao DN.

Na opinião do antigo treinador do jovem avançado, o luso-angolano já é o segundo melhor ponta-de-lança do plantel verde e branco: "Claro que ainda está longe da confiança revelada pelo Bas Dost na finalização e da forma como este faz os apoios. Mas se o holandês não puder jogar na quinta-feira com o Viktoria Plzen, o Rafael será sem dúvida nenhuma a melhor opção."

Pedro Gonçalves foi treinador na formação do Sporting entre 2001 e 2015 e ficou maravilhado nas primeiras vezes em que viu Rafael Leão em ação. "Ele está no Sporting desde as escolinhas [chegou ao clube com 8 anos] e distinguia-se claramente dos outros pela habilidade e pela capacidade em fazer golos. Depois, fui acompanhando a sua trajetória e sempre foi o melhor marcador das suas equipas. Fico feliz por hoje em dia ele preservar a alegria dos seus tempos de menino. Se repararem, o Rafael estava a rir-se no momento em que rematou no lance do golo que marcou no Dragão", sublinhou.

Foi no escalão de sub-16 que Pedro Gonçalves treinou Rafael Leão e na altura a jovem pérola luso-angolana destacava-se por uma característica peculiar. "Ele fingia que era trapalhão e fazia de conta que não era nada com ele, aparentando uma linguagem corporal demasiado descontraída. Mas de repente arrancava por ali fora, apanhava os defesas desprevenidos e marcava golo. Os adversários ficavam estupefactos sem perceberem o que aconteceu", revelou. Curiosamente, aconteceu algo do género no jogo com o Moreirense, quando depois de revelar aparente alheamento do jogo disparou a alta velocidade no terceiro minuto de compensação e assistiu Gelson Martins para o lance do 2-1.

Na opinião do seu antigo técnico, Rafael tem todas as condições para continuar a evoluir, "não só devido à sua qualidade mas também pela humildade que continua a revelar e que é visível na forma como se relaciona com os seus antigos colegas da formação". Pedro Gonçalves continua a falar com o seu antigo jogador e garante que ele "mantém todos os traços da sua personalidade e uma alegria contagiante, tipicamente angolana, que faz que não haja um único colega que não goste dele".

Pedro Gonçalves não duvida de que o internacional sub-21 português "tem tudo para vir a ser uma referência do Sporting e da seleção nacional", mas aponta os aspetos em que precisa de melhorar. "Terá de manter uma maior consistência competitiva e necessita de ser cada vez mais intenso. Se precisa de defender melhor? Na minha opinião, tem estado bem nessa vertente e já quando o treinei era assim, nunca teve problemas em defender e era o primeiro a condicionar a saída de bola do adversário", recordou.

Jesus comparou-o a Jordão, mas Pedro Gonçalves não o acha parecido com ninguém, "uma vez que tem características muito próprias, é alto, explosivo e joga bem com os dois pés". "Se os adeptos do Sporting ainda não tiveram oportunidade de apreciar o seu excelente jogo de cabeça, em breve vão ficar surpreendidos", garante. Uma profecia para o seu terceiro golo nos seniores leoninos?

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG