COI aprova autorização a atletas russos 'limpos', excluídos recorrem ao TAS

Assembleia-geral Comité Olímpico Internacional apoia participação de 168 desportistas russos nos Jogos Olímpciso de inverno, sob bandeira neutral.

A assembleia-geral do Comité Olímpico Internacional (COI) apoiou a decisão da Comissão Executiva de autorizar a participação sob bandeira neutra, nos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018, um grupo de 168 atletas russos considerados "limpos" do uso de doping. Ao mesmo tempo, soube-se que 32 atletas russos que não foram convidados para a competição, por suspeitas de uso de substância dopantes, vão apelar para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) e esperam uma decisão favorável até sexta-feira.

A 132.ª sessão do COI, que começou esta terça-feira em PyeongChang (Coreia do Sul), aprovou por larga maioria a decisão da direção do organismo. Apenas se abstiveram o canadiano Richard Pound e do britânico Adam Pengilly. Pound, ex-presidente da Agência Mundial Antidopagem (AMA), acusou o COI de ter excessiva benevolência para com a Rússia, criticando também o pouco apoio dado aos que revelaram os casos de doping no país. "Falamos mais do que andamos. Os desportistas e o público não acreditam que os seus interesses estejam protegidos. Estou de acordo que precisamos de recuperar a Rússia para a família olímpica, mas com as nossas condições, sem suportar as suas negações ou os seus ataques", apontou.

O suíço Denis Oswald, que deu nome à comissão do COI encarregada de estudar a manipulação do sistema antidoping nos Jogos de Sochi de 2014, lamentou os rumores sobre uma possibilidade de o organismo ter perdido de forma deliberada os 28 casos de castigos revertidos pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS). "Isso é um insulto ao COI, à minha comissão e a mim", afirmou Oswald, sobre a decisão do TAS de ilibar 28 dos 43 atletas que tinham sido irradiados e impedidos de estar em PyeongChang.

Durante a Sessão ficou em aberto a possibilidade de a delegação russa desfilar sob a sua bandeira na cerimónia de encerramento do Jogos PyeongChang2018, caso cumpram, "no espírito e na letra" as regras impostas pelo COI, disse o presidente do organismo, Thomas Bach, que alertou também para o comportamento dos adeptos russos.

De resto, também esta terça-feira soube do apelo ao TAS de 32 dos desportistas russos excluídos de PyeongChang 2018. Os apelos, entre os quais figuram alguns de atletas medalhados, vão ser analisados por uma comissão ad-hoc do Tribunal Arbitral do Desporto instalada em PyeongChang. São esperadas decisões até quarta-feira, garantiu o secretário-geral do organismo, Matthieu Reeb.

A 1 de fevereiro, o TAS anulou a suspensão de 28 dos 43 atletas russos que competiram nos Jogos Olímpicos de 2014 em Sochi e foram sancionados pelo COI por uso de doping, abrindo assim a possibilidade de participarem nos Jogos PyeongChang 2018.

Depois de ter esclarecido que o levantamento das sanções não conferia automaticamente um convite para os Jogos, o Comité Olímpico Internacional (COI) rejeitou, na segunda-feira, os pedidos de convites que alguns atletas e treinadores solicitaram.

A quatro dias do início dos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018 (que se realizam entre 9 e 25 de fevereiro), há 168 desportistas russos autorizados a participar na competição, depois de ter sido considerados "limpos" por uma comissão do COI.