Portugal quer "pelo menos uma medalha" nos Mundiais de maratonas

Portugal espera trazer "pelo menos uma medalha" dos Mundiais de maratonas em canoagem, que decorrem de sexta-feira a domingo em Pietermaritzburgo, África do Sul.

"Estamos cá com boas expectativas. Tivemos quatro medalhas nos Europeus de Ponte de Lima, uma de ouro e três de bronze. Ambicionamos pelo menos uma medalha, uma participação condigna", disse o técnico nacional Rui Câncio.

Em declarações à Lusa, o treinador recordou o ouro de José Ramalho em K1, no que foi o seu quinto título europeu, além dos bronzes dos juniores Duarte Silva em C1 e Rita Fernandes em K1, e de Sérgio Maciel em C1 sub-23.

"Claro que o José Ramalho é a nossa principal esperança. Está bem. Em melhores condições e melhor forma do que no Europeu, que venceu para nossa surpresa. Trabalhámos a época toda a pensar neste Mundial, para ele conquistar o único grande título que lhe falta na carreira", assumiu Rui Câncio.

Campeão da Europa em 2011, 2014, 2015, 2016 e 2017, sendo ainda 'vice' em 2009 e 2013, o canoísta vila-condense nunca venceu em Mundiais: chegou à prata em 2012 e ao bronze em 2009, 2014 e 2016, faltando-lhe o título em K1, que Portugal só conquistou por Beatriz Gomes, em 2009.

"O Ramalho tem tudo o que um campeão precisa. Tem capacidade e qualidade. Apenas necessita de acreditar mais em si. E fazer uma prova inteligente. Muita gente vai para lá com medo do McGregor e à espera de ser segundo. Se for assim, já hipotecaram as hipóteses de êxito", diz, falando sobre o atual tetracampeão do Mundo, um atleta "duro" -- já foi desqualificação em mundiais por atitudes antidesportivas na água - que compete em casa.

Além dos medalhados, "grande esperança" também no 'veterano' Nuno Barros (C1), de 35 anos, que foi campeão do Mundo em 2010 e bronze em 2014, 2015 e 2016.

"É um canoísta muito experiente. Falhou os europeus, mas tem sido medalha nos mundiais. Confio que continuará na rota dos pódios", realçou.

Quanto aos mais jovens, recorda que são classes "mais abertas e imprevisíveis", mas garante que "todos têm qualidade e potencial para estar entre os que vão subir ao pódio".

A seleção chegou domingo a Pietermaritzburgo onde se vai habituar às condições do traçado "favorável aos portugueses, já que é de águas baixas e os atletas lusos são mais leves".

Seleção de Portugal nos Mundiais de maratonas:

- Seniores:

K1 José Ramalho.

K2 Alfredo Faria/Miguel Rodrigues.

C1 Nuno Barros.

- Sub-23:

C1 Sérgio Maciel

- Juniores:

K1 Rita Fernandes.

C1 Duarte Silva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG