Portugal deixou checos em branco

A seleção nacional arrancou da melhor forma no European Trophy ao bater este sábado, no Estádio Nacional, a República Checa, por claros 45-12, o que permite aos Lobos continuarem no caminho rumo ao Mundial 2019

Apesar da agradável exibição e do triunfo concludente conseguido esta tarde por Portugal (11.º noutros tantos duelos com os checos!), os homens de Martim Aguiar certamente reconhecerão, após os 80 minutos, que ficaram a dever a si próprios um par de ensaios e para aí uns 20 pontos que dariam uma imagem mais consentânea das diferenças existentes entre a atual 25.ª selecção do ranking mundial e o quinze forasteiro, 31.º.

Os checos - treinados pelo excelente sul-africano Phil Pretorius, ex-treinador dos Bulls de Pretória e da universidade de Stellenbosch - que garantiram a promoção ao Trophy após derrotarem Malta (48-14) chegaram a Lisboa com uma sequência de nove triunfos consecutivos mas nem isso lhes serviu para evitar uma pesada derrota. E que permitiu à seleção nacional prosseguir no processo de qualificação para o Mundial 2019 do Japão, indo agora em maio, defrontar o 3.º classificado do Europe Championship (Geórgia já está apurada e 2.º classificado qualifica-se como Europe 1) .

Martim Aguiar apresentou dois estreantes de início (o ponta António Pena Monteiro e o abertura José Rodrigues, que confirmou as boas expectativas que trazia, ao ser "o melhor em campo", não só pelos pontos que conseguiu em pontapés - 15, não tendo falhado nenhum dos 7 que dispôs aos postes - como pela boa manobra do jogo da equipa nacional) e promoveu o regresso do veterano pilar Gustavo Duarte, 35 anos, que desde 2009 não representava a seleção.

Portugal entrou melhor e aos 5" já vencia por 10-0, com uma penalidade de Rodrigues e um ensaio do ponta Tomás Appleton, na sequência de uma fantástica placagem agressiva de José Lima que recuperou a oval para as nossas cores. Mas logo a seguir um erro na captação de um passe do n.º 10 português mesmo em frente dos nossos postes permitiu aos checos desenvolverem o lance para o estreante defesa Kolarik reduzir (10-5).

Os Lobos dominavam a partida e sempre que aceleravam escancaravam a lenta e mal organizada defesa checa. Aos 24" uma soberba perfuração de Manuel Cardoso Pinto libertou José Lima para o segundo ensaio português e em cima do intervalo foi o pilar Bruno Medeiros a estrear-se a marcar por Portugal recebendo um passe interior de Vasco Fragoso Mendes que após um alinhamento rasgou de alto a baixo a defesa de papel adversária, para 24-5 ao intervalo.

A 2.ª parte não foi tão bem jogada pelos Lobos (Martim Aguiar ia pedindo mais concentração, melhores placagens e outra dinâmica) que apesar de dominarem por completo o jogo - alugava-se meio-campo - entraram em "modo deixa andar" e só aos 64" marcariam de novo por Appleton recebendo em bandeja de ouro um passe do recém-entrado Nuno Sousa Guedes, autor de um fantástico slalom gigante em que o defesa de Direito passou por equipa e meia checa (31-5).

Pouco depois um azar tremendo de José Rodrigues - na nossa área de 22 o seu passe para Lima embateu no poste e ressaltou para as mãos do surpreendido Anthony Kent, pilar checo que alinha no Belenenses! - permitiu o segundo ensaio da equipa de Leste (31-12).
Mas Portugal fecharia o encontro da melhor forma ao obter dois ensaios tardios, por António Pena Monteiro (a marcar na sua estreia internacional explorando autoestrada em via verde aberta pela desgastada defesa checa) e depois pelo entrado pilar João Vasco Corte-Real, selando as contas em claros 45-12.

Portugal alinhou e marcou: Manuel Cardoso Pinto, Tomás Appleton (5,5), José Lima (5), Vasco Ribeiro e António Pena Monteiro (5); José Rodrigues (3,2,2,2,2,2,2), Manuel Queirós; Vasco Fragoso Mendes, Sebastião Villax, João Lino (cap.), Gonçalo Uva, Geordie McSullea, Bruno Medeiros (5), Nuno Mascarenhas e Gustavo Duarte.

Entraram todos os suplentes, ou seja, Gonçalo Domingues, Duarte Foro, Fernando Almeida, Francisco Sousa, João Belo, António Vidinha, Nuno Sousa Guedes e João Vasco Corte-Real (5).

A seleção nacional só volta agora a entrar em ação a 10 de fevereiro do próximo ano, ao receber a Holanda para a 2.ª jornada do European Trophy.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG