Portugal arranca com vitória e já está nos quartos de final

Ricardinho marcou três golos no triunfo diante a Eslovénia

Portugal, mais apoiado nos automatismos do que na criatividade, apurou-se hoje para os quartos de final do Europeu de futsal, ao estrear-se com uma vitória sobre a Eslovénia, por 6-2, que o coloca em primeiro no grupo A.

A saber que um triunfo era suficiente para garantir a qualificação logo no primeiro desafio, a equipa lusa cumpriu com o seu favoritismo e impôs-se com os mesmos quatro golos de diferença que a Sérvia conseguiu, mas com a vantagem de 'faturar' mais um: assim, quando defrontar os anfitriões no sábado, a Portugal basta um empate para teoricamente poder evitar a Itália, campeã em título.

A formação de Jorge Braz esteve aquém do seu valor, pois, enquanto o resultado final era ainda incerto, Portugal revelou falta de velocidade e criatividade, sendo que os primeiros quatro golos surgiram em lances estudados de bola parada, com os restantes a acontecer quando a Eslovénia já jogava com o guarda-redes avançado. Ricardinho, com três golos, voltou a ser decisivo.

Sem o seu pivô Cardinal, que foi ao Europeu sabendo que falha os dois primeiros jogos, por castigo, Portugal sentiu maiores dificuldades em impor o seu estilo de jogo, mesmo detendo clara superioridade técnica em relação ao rival.

Um começo hesitante resultou no golo prematuro de Cujec, que fintou Arnaldo Pereira e, na lateral, com o pé esquerdo, atirou cruzado para o 1-0, num lance em que os lusos foram pouco agressivos a defender.

A equipa de Jorge Braz parecia nervosa, mas, segundos após ter falhado o empate, Fábio Cecílio (05) redimiu-se e atirou de primeira descaído para a direita, após reposição lateral de João Matos no lado oposto.

Quando as linhas de passe não abundavam, por mérito esloveno, revelou-se génio de Ricardinho: a 'estrela' portuguesa fez o golo 100 pela seleção, num desvio de calcanhar que surpreendeu o guarda-redes Puskar, aos 16 minutos.

No último minuto, Cujec e Ricardinho falharam livres diretos a 10 metros e sem barreira, porém, no lance subsequente ao seu, a Eslovénia empatou, com Vrhovec a beneficiar de demasiado espaço em pontapé de canto e atirar vitoriosamente, com a defesa portuguesa a não entender-se na reação ao remate, defensável.

Na etapa complementar Portugal continuou a estar aquém do seu valor, ainda assim o 'inevitável' Ricardinho recuperou a vantagem lusa, em livre direto (24), e os lusos passaram a respirar melhor após canto de Paulinho ao qual correspondeu Pedro Cary com remate certeiro em antecipação (31).

Já com a Eslovénia em desespero, a jogar com guarda-redes avançado, para Ricardinho roubou a bola ao seu habitual marcador e atirou para a baliza deserta (33), antes de Fábio Cecílio marcar o sexto tento a 59 segundos no final e assegurar a vantagem para o embate com a Sérvia, no sábado, às 20:00, horas de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG