Portugal a um passo de atingir a 25.ª final a nível de seleções

Número redondo pode ser alcançado já esta tarde caso os miúdos treinados por Hélio Sousa vençam a Holanda

A seleção nacional de sub-19 vai disputar ao início desta tarde, pelas 14.00 (em direto na Eurosport), o acesso à 25.ª final da história das equipas da Federação Portuguesa de Futebol (ver quadro). Para atingir tal número redondo, a jovem formação lusa terá de superar a Holanda, no Estádio David Petriashvili, em Tbilisi, na Geórgia, onde se disputa o Campeonato da Europa da categoria.

À partida para o encontro, há três bons indícios de que esta quarta-feira se torne mais um dia histórico para o futebol português: grande parte da seleção nacional é formada por campeões europeus sub-17 no ano passado, incluindo o selecionador; o escalão de sub-19 (ou sub-18, até 2001) é aquele que mais finais tem dado a Portugal (dez); e o treinador deste jovem grupo é um homem habituado a estas andanças.

Hélio Sousa, que fez toda a carreira de futebolista no Vitória de Setúbal (1987 a 2005) e trabalha na Federação desde 2010, esteve nas finais do Europeu sub-18 em 1988 e na do Mundial sub-20 em 1989 enquanto jogador; e nas dos Europeus de sub-19 em 2014 e sub-17 em 2016 já na pele de selecionador. Ganhou duas, perdeu outras tantas, mas parte em vantagem sobre o adversário. No escalão sub--18/19, o melhor que a Holanda conseguiu foi ser finalista vencida do Torneio Júnior da FIFA, em 1948 e 1949. E o selecionador laranja, Maarten Stekelenburg - não confundir com um guarda-redes com o mesmo nome -, foi derrotado na única final que disputou, há três anos, no Euro sub-17.

De Serafim a Éder

Fundada a 31 de março de 1914, filiada na FIFA desde 1923 e na UEFA desde 1954, a Federação Portuguesa de Futebol teve a primeira final (e título) da sua história a 8 de abril de 1961, o Torneio Júnior da UEFA, equivalente ao Campeonato da Europa de sub-18/19. Nesse encontro, Portugal goleou a Polónia por 4-0, no Estádio da Luz, com um póquer de Serafim, o primeiro herói nacional no que ao futebol diz respeito. Essa seleção, orientada por José Maria Pedroto, contava ainda com António Simões, autor do primeiro golo da campanha e o elemento da equipa que chegou mais longe na carreira.

Somente dez anos depois é que uma equipa das quinas voltou a atingir o jogo decisivo de uma competição, mais uma vez no Torneio Júnior da UEFA. Mesmo com um António Fidalgo eleito melhor guarda-redes da prova e Shéu e Rui Jordão como nomes sonantes, a armada lusa foi derrotada por Inglaterra por 0-3, em Praga.

Mais uma vez foi necessário esperar muito tempo para se assistir a nova presença numa final. O regresso deu-se em 1988, o que significa que Portugal alcançou 22 das suas 24 finais nos últimos 19 anos, 11 das quais terminaram em conquistas de troféu.

A última, e também a mais importante, celebrou o primeiro aniversário na segunda-feira. 10 de julho de 2016 ficará para sempre marcado na história do futebol português como o dia do primeiro título a nível sénior, alcançado em Paris diante da França, num triunfo por 1-0 com o golo decisivo a ser marcado por Éder.

Desfeito o enguiço, para compor ainda mais o histórico, ficam a faltar presenças em finais de Campeonato do Mundo sénior, Jogos Olímpicos, Taça das Confederações e Mundial sub-17. A julgar pela cadência, estarão para breve...

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG