Polícia investiga possível caso de envenenamento de tenista junior em Wimbledon

Atleta foi diagnosticada com leptospirose, uma infeção bacteriana rara que, nos casos mais graves, pode mesmo ser fatal

A polícia britânica está a investigar um possível caso de envenenamento de uma tenista júnior durante o torneio de Wimbledon, terceiro 'Grand Slam' da temporada, disputado em julho passado.

Gabriella Taylor, de 18 anos, passou quatro dias nos cuidados intensivos, depois de ter abandonado um encontro dos quatros de final do torneio de juniores.

A tenista foi diagnosticada com leptospirose, uma infeção bacteriana rara que, na sua forma mais aguda, pode ser fatal.

Em declarações ao jornal Daily Telegraph, a mãe de Gabrielle Taylor disse que a filha "quase morreu" e explicou que existem suspeitas de que a jovem tenha sido vítima de um envenenamento.

"A bactéria é muito rara na Grã-Bretanha, pelo que pensamos que possa não ter sido um acidente. É possível que alguém tenha aproveitado o facto de as malas estarem muito tempo sem vigilância nos balneários para contaminar as suas bebidas", referiu a mãe.

Fonte da Scotland Yard confirmou à agência AFP a abertura de uma investigação sobre o caso, enquanto um representante do torneio britânico disse ao Daily Telegrah não ter recebido qualquer pedido da polícia para eventuais esclarecimentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG