Polícia britânica admoesta Ronaldo por ter atirado ao chão telemóvel de adepto

Este é um tipo de aviso que a Polícia costuma usar contra pessoas sem antecedentes por crimes menores, conforme descrito pelo governo do Reino Unido no seu sítio oficial.

A Polícia britânica emitiu um "aviso condicional" ao futebolista português Cristiano Ronaldo, do Manchester United, por ter atirado o telemóvel de um adepto do Everton ao chão, em abril, foi anunciado esta quarta-feira.

Este é um tipo de aviso que a Polícia costuma usar contra pessoas sem antecedentes por crimes menores, conforme descrito pelo governo do Reino Unido no seu sítio oficial.

Para evitar o julgamento, embora o crime seja inscrito no seu registo criminal, o admoestado terá de admitir que cometeu a infração, agilizando o processo judicial e evitando o julgamento.

"Podemos confirmar que um homem de 37 anos apareceu e foi entrevistado sob advertência em relação a uma suposta agressão e danos criminais", refere a Polícia de Merseyside em comunicado.

As forças de segurança detalham que "as acusações estão relacionadas com um incidente após o jogo de futebol entre o Everton e o Manchester United, em Goodison Park, no sábado, 9 de abril".

"O assunto foi resolvido com um aviso condicional" e "está encerrado", acrescenta a nota policial.

Embora a Polícia não detalhe as condições dessa repreensão, este tipo de punição envolve geralmente medidas como reparar o dano causado ao património.

O futebolista português atirou ao chão o telemóvel de um adepto de 14 anos após a derrota por 1-0 frente ao Everton, como se pode ver nas imagens do incidente partilhadas nas redes sociais.

Após o ocorrido, Cristiano Ronaldo pediu desculpa pelo seu comportamento e convidou o jovem adepto a assistir a uma partida em Old Trafford, "como um sinal de 'fair-play' e desportivismo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG