Polémica no leilão da camisola de Maradona do golo com a "mão de Deus"

A filha do ex-campeão mundial disse que a camisola que vai ser leiloada não é a original e que sabe quem a tem, mas evitou informar o nome do dono.

O leilão da camisola com que Diego Maradona marcou o golo com a "mão de Deus" à Inglaterra, no Mundial1986 de futebol, está envolto em polémica, com a família a alegar esta quinta-feira que não é a mesma.

Dalma Maradona, filha do jogador argentino, que morreu em 2020, assegura que a camisola que a Sotheby's vai leiloar não é aquela com que o pai marcou os dois golos emblemáticos à Inglaterra, aos 51 e 55 minutos, mas a que ele usou durante a primeira parte do encontro, que os sul-americanos venceram por 2-1.

A camisola a leilão pertence ao ex-internacional inglês Steve Hodge, após troca com o argentino no referido jogo, em que Maradona marcou um golo com a ajuda da mão e outro considerado o melhor do século XX, e pode chegar aos 4,7 milhões de euros.

A filha do ex-campeão mundial disse que o pai não trocaria a emblemática camisola com Steve Hodge e garantiu que sabe quem está na sua posse, mas evitou informar o nome do dono.

Hodge afirmou há alguns anos ser o dono da camisola histórica, que foi exibida num museu e será leiloada online de 20 de abril a 04 de maio.

A licitação inicial é de 5,2 milhões de dólares (4,7 milhões de euros), valor bem abaixo do valor recorde arrecadado em camisolas de atletas, que pertence a uma peça da lenda do beisebol Babe Ruth, de quando jogava no New York Yankees, que foi leiloada por 5,64 milhões de dólares (5,2 milhões de euros).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG