Pedro Proença já esperava problemas com o videoárbitro

O presidente da Liga considera que "há uma grande margem de progressão para melhorar"

Pedro Proença, presidente da Liga, acredita que "há uma grande margem de progressão para melhorar" no videoárbitro (VAR), admitindo que os problemas que se têm registado "eram expectáveis", o que considera ser "natural" quando se "quer fazer melhor".

"É uma introdução e tem de ser elogiada por todos. Somos das cinco ligas profissionais que tem este meio tecnológico. Temos de ver as coisas do lado positivo: se não tivéssemos hoje VAR, que discussões teríamos de ter? Quando a tecnologia foi pensada, sabíamos que tínhamos de passar por estas fases, com uma nova realidade que permite às equipas de arbitragem aferir o que se passa dentro do campo de forma diferente. Temos de dar tempo, isso é fundamental para não deixarmos morrer o futuro da arbitragem em todo o mundo", acrescentou Proença, que esteve esta terça-feira na Web Summit, que decorre no Parque das Nações, em Lisboa.

Questionado sobre Pedro Proença a não divulgação dos áudios do VAR, deixou bem claro que é algo que ultrapassa as competências da Liga: "A Disciplina e Arbitragem estão na Federação Portuguesa de Futebol e respeitamos essa separação de poderes. Essas questões têm de ser colocadas ao Conselho de Arbitragem."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG