Os sobreviventes do voo do Chapecoense

Há seis sobreviventes confirmados e relatos de um sétimo encontrado nos destroços

Pelo menos sete pessoas foram retiradas com vida dos destroços do avião do clube brasileiro Chapecoense que caiu na Colômbia, mas uma das vítimas acabou por morrer no hospital. A autoridade aeronáutica civil do país confirmou, no último comunicado, que sobreviveram seis pessoas. Um dos jogadores mencionado na comunicação anterior morreu no hospital.

Quatro dos passageiros retirados com vida dos destroços eram jogadores: Alan Ruschel, de 27 anos, foi um dos primeiros a ser resgatados e chegou ao hospital consciente; os guarda-redes Jackson Follmann, de 24 anos, e Marcos Danilo Padilha, de 31 anos, foram os outros dois; e Hélio Hermito Zampier Neto, mais conhecido como Neto, o último a ser encontrado, que está em estado considerado muito grave.

Danilo, entanto, que era mencionado no comunicado anterior, acabou por morrer no hospital.

Sobreviveram ainda dois tripulantes, a assistente de bordo Ximena Suárez e o técnico Erwin Tumiri, e ainda o jornalista Rafael Hensel, que no início do voo tinha partilhado várias publicações no Facebook sobre a cobertura do jogo.

Alan Ruschel é um lateral do Internacional que está emprestado ao Chapecoense, tem 27 anos e fez toda a carreira no Brasil. Follmann, de 24 anos, é guarda-redes e também fez toda a carreira no país. Neto tem 31 anos.

A equipa viajava para a Colômbia para disputar a primeira mão da final da Taça Sul-Americana de futebol com os colombianos do Atlético Nacional. A Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) decidiu entretanto suspender todos jogos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG