Os doentes da bola estão à solta no Portugal Arena

No Arena Portugal, não faltam música (aos berros), cerveja e jogos, mas o que há aos pontapés são os doentes da bola que escolheram Lisboa para assistir ao Mundial

Um jogo de futebol, nunca é só um jogo de futebol. Ok, a bola conta - e muito -, mas o lugar onde se está também faz - e muita - diferença. Neste caso, Lisboa é a cidade perfeita e o Arena Portugal, no Terreiro do Paço, o spot ideal para assistir o Mundial de 2018. Julie Donlon, enfermeira de Sheffield, Inglaterra, já andou por aqui durante o Euro 2016 e foi nessa altura que prometeu voltar. "Promessa cumprida", diz ela, fazendo um brinde à seleção portuguesa.

Aline Saliba, médica em Brasília, esteve também por aqui há dois anos a passar férias, apanhou o vício e está de volta. "É só por um dia, mas tinha de passar por Lisboa." Amanhã parte para o Brasil, mas vai chegar a tempo e horas para assistir ao jogo entre Portugal e Espanha: "Estou contando apanhar ainda a segunda parte." E por quem vai ela torcer? "Antes de apanhar o avião vou comprar uma camisola da seleção portuguesa no aeroporto."

Ainda mais espetacular é a devoção de Mário Moreno por esta cidade e, também pelo futebol, pois claro. O engenheiro civil de Bogotá, Colômbia, garante que vai estar no Arena Portugal todos os dias. Cada dia com uma camisola diferente. Hoje foi a Rússia, amanhã é Portugal e, depois, logo se vê. O que não faltam são camisolas diferentes para usar sem precisar de repetir. A doença já vem de longe. Começou em Lisboa, em 2012 com o Europeu, piorou em 2014, também em Lisboa, com o Mundial e agora "vai ser mais do mesmo", conta o colombiano de 36 anos.

Doentes da bola não faltam por aqui. Para os que estão a planear passar pelo Terreiro do Paço nos próximos dias, o aviso fica feito: a cada metro quadrado de relva sintética do Arena Portugal esbarramos com um.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG