O fim do fora-de-jogo e dos cartões amarelos para revolucionar o futebol

Marco van Basten, atual diretor técnico da FIFA, elencou dez medidas para "melhorar o jogo e torná-lo mais honesto"

O holandês Marco van Basten, um dos melhores avançados da história e atual diretor técnico da FIFA, defendeu, em entrevista ao jornal alemão Bild, uma verdadeira revolução no futebol, com uma série de medidas que vão desde o fim dos cartões amarelos, do fora de jogo e passar a parar o relógio nas paragens do jogo.

Eis então as 10 medidas que podem vir a revolucionar o futebol:

1 - Abolir o fora-de-jogo. "Tenho muita curiosidade sobre como seria o futebol sem fora-de-jogo. Creio que muita gente vai estar contra. Eu estaria a favor porque o futebol atual parece-se cada vez mais com o andebol, com equipas a colocarem muros à frente da baliza.

2 - Suspensões temporárias em vez do cartão amarelo. "A ideia é substituir o cartão amarelo por penalizações aos jogadores de cinco ou dez minutos. Já é difícil jogar dez contra onze, agora imaginem oito ou nove contra onze."

3 - Um shoot-out em vez de penáltis para desempatar jogos. "Cada equipa teria cinco tentativas. O árbitro apita e o jogador corre 25 metros até à baliza e tem oito segundos para finalizar. Seria espetacular para os adeptos e interessante para os jogadores. Nos penáltis tudo acaba num segundo. Num shoot-out há muitas possibilidades, pode-se driblar, rematar, esperar pela reação do guarda-redes. Assemelha-se mais a uma situação de jogo."

4 - Paragem do relógio nos últimos dez minutos. "Como nos desportos de pavilhão, o relógio iria parar cada vez que a bola saísse do campo ou houvesse faltas. É a melhor forma de combater o antijogo."

5 - Só o capitão fala com o árbitro. "À semelhança do râguebi, só o árbitro deve falar com o árbitro."

6 - Limitação do número de faltas. "No basquetebol, ao fim de seis faltas os jogadores são excluídos. No futebol, iria reduzir as paragens no jogo e punir os infratores."

7 - Oito contra oito na formação. "No futebol profissional deve continuar a ser 11 contra 11 num grande relvado, mas nos jovens ou maiores de 45 anos seria perfeito jogar oito contra oito num espaço mais reduzido."

8 - Menos jogos. "Devemos procurar aumentar a qualidade de jogo e, como tal, devemos reduzir as épocas a cerca de 50 jogos."

9 - Mais substituições. "No prolongamento dos jogos devia haver possibilidade de mais uma ou duas substituições, além das três no tempo regulamentar."

10 - Substituições sem parar o jogo. "É um assunto a estudar, pois temos de ter em conta que o árbitro precisa de saber quem está em campo."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG