O duelo mais esperado vai pagar 100 milhões a Mayweather e McGregor

Entre avanços e recuos, vão-se conhecendo pormenores do novo "combate do século": duelo milionário pode ser em Las Vegas, em junho

O rótulo de "combate do século" pode ter-se banalizado, de tantas lutas lendárias que apelidou (a começar nas de Muhammad Ali contra Foreman e Frazier, na década de 1970), mas este duelo faz-se esperar e desejar como poucos: Floyd Mayweather vs. Conor McGregor está cada vez mais próximo de acontecer. Entre avanços e recuos, confirmações e desmentidos, vão--se conhecendo os pormenores do confronto milionário entre os maiores ícones do boxe e das artes marciais mistas da atualidade. Cada um deverá receber 100 milhões de dólares, só por subir ao ringue.

As pistas apontam 10 de junho e a T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA), como data e local do embate - mesmo que essas informações estejam desmentidas (pelo menos, por agora). Após Mayweather ter confirmado o regresso aos ringues - "Estou oficialmente a voltar de reforma pelo Conor McGregor. Não devemos perder mais tempo. Temos de fazer esta m.... acontecer rapidamente. Vamos fazê-lo em junho", afirmou o pugilista - foi noticiado que o recinto de Las Vegas já tinha sido reservado para acolher um duelo, na noite de 10 de junho.

O presidente da UFC (Ultimate Fighting Championship, a principal promotora de combates de artes marciais mistas, à qual McGregor está vinculado), veio ontem pôr água na fervura, garantindo ao site TMZ, que o combate está "muito longe de ser feito" e que "nem sequer há uma data" escolhida. No entanto, isso não bastou para baixar as expectativas dos fãs de Floyd Mayweather e Conor McGregor.

Afinal, seja ou não naquelas data e local, o combate - já apimentado pelo tradicional bate--boca prévio aos anúncios oficiais - tem tanto de inédito como de lendário. Vindos de desportos diferentes, que dominaram de forma implacável nos últimos anos, os lutadores deverão enfrentar-se segundo as regras do boxe (no que será a estreia de Conor McGregor na disciplina). E terão à espera um prémio de participação de 100 milhões de dólares (93,6 milhões de euros) para cada um - embora o irlandês tenha de entregar uma fatia do bolo à UFC, por estar contratualmente ligado à organização.

Floyd Mayweather, estado-unidense de 40 anos, parte como favorito. Para Money (como é conhecido, devido ao gosto por exibir notas, luxos e outras extravagâncias nas redes sociais da internet...), o regresso aos ringues de boxe é uma oportunidade de ouro para conseguir o melhor registo de sempre na modalidade. Após conquistar títulos mundiais em cinco categorias de peso diferentes, retirou-se com 49 vitórias e zero derrotas - os mesmos números do lendário Rocky Marciano: o triunfo sobre McGregor deixá-lo-ia sozinho no trono.

O irlandês, de 28 anos, tem um registo mais humilde - 9/1 no UFC e um total de 23 vitórias e três de-saires em duelos de artes marciais mistas (MMA) - mas conserva títulos de duas divisões distintas da modalidade e é um fenómeno de popularidade com quase tantos seguidores como Mayweather. A alcunha - Notorius - diz tudo quanto à sua notoriedade.

Contudo, agora McGregor tem o desafio mais difícil da carreira: sair da sua zona de conforto, calçar as luvas de boxe (que não usa desde a adolescência) e tentar derrotar um homem até aqui invencível. Pode até não ser "o duelo do século" - como também foi chamado o confronto entre Mayweather e Manny Pacquiao, em maio de 2015 - mas é mesmo, neste momento, o combate mais esperado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG