NFL terá mulher em equipa técnica pela segunda vez

Katie Sowers vai ser adjunta nos San Francisco 49ers, seguindo os passos de Jen Welter, há dois anos nos Cardinals

O desporto continua a dar passos para cimentar a igualdade de género. Desta feita, a Liga Nacional de Futebol Americano dos Estados Unidos (NFL) terá uma mulher no staff técnico de uma equipa pela segunda vez na história. A senhora de quem se fala chama-se Katie Sowers, que vai trabalhar de forma efetiva como treinadora adjunta nos San Francisco 49ers, formação na qual já estava enquanto estagiária. Agora, vai seguir as pisadas de Jen Welter, que há dois anos comandou os linebackers [posição específica do futebol americano] dos Arizona Cardinals por dois meses - na época passada, Kathryn Smith trabalhou com os Buffalo Bills, mas acabou por sair ainda antes da época começar.

A novidade foi confirmada pela própria no Facebook, depois de ter terminado o estágio no dia 11, em Kansas City, precisamente na sua cidade natal, onde os niners defrontaram os Chiefs. "Quero partilhar com os meus amigos e família que aceitei um cargo na equipa técnica dos San Francisco 49ers até ao final da temporada. Muitas pessoas perguntam como cheguei até aqui, num caminho tão pouco usual, e é fácil dizer "acredita em ti e os teus sonhos irão tornar-se realidade", mas essa é apenas uma parte da explicação. Encontrei alguém que me reconheceu valor independentemente do género. Fui abençoada e comecei a minha história na NFL através do meu amigo e mentor Scott Pioli. Sei que a melhor forma que tenho para lhe agradecer é continuar a quebrar barreiras", escreveu, numa publicação emotiva e que contou milhares de reações e partilhas.

Pai foi treinador... de basquetebol

Ainda não se sabe se Katie Sowers continuará a trabalhar ao lado de Mike LaFleur, técnico da posição receivers com quem fez o estágio, ou se terá uma nova função. Certo é que vai continuar no clube pelo qual entrou por intermédio do programa Bill Walsh Fellowship, lançado há 35 anos pelo histórico treinador dos San Francisco 49ers com o mesmo nome, com o intuito de dar oportunidades a minorias. "Ela chegou, trabalhou com os receivers e fez o melhor trabalho que vi ser feito por um estagiário. Adoramos tê-la connosco. Ela estava sedenta para aprender, jogou futebol americano numa liga feminina durante algum tempo e é apaixonada pelo jogo", afirmou o treinador principal, Kyle Shanahan.

Filha de um treinador de basquetebol feminino, Katie vai seguir as pisadas do pai, mas numa modalidade da qual é seguidora atenta desde os oito anos. Quando era criança, também julgava vir a tornar-se treinadora de basquetebol feminino, por desconhecer que mulheres pudessem jogar ou treinar futebol americano. Quando viu que era possível, deu asas ao sonho.

Antes de abraçar a carreira de treinadora, Katie jogou a nível profissional e chegou mesmo a representar a seleção dos Estados Unidos, pela qual mostrou polivalência, ao jogar em quatro posições: quarterback, wide receiver, linebacker e safety. Uma lesão num quadril fez que tivesse de pendurar as botas, mas o conhecimento adquirido no terreno fez que continuasse ligada à modalidade. Depois de ter trabalhado como consultora para a USA Football [espécie de federação amadora] e de, no ano passado, ter sido estagiária nos Atlanta Falcons - onde conheceu Kyle Shanahan, então coordenador ofensivo dos Falcons -, está a preparar-se para iniciar funções num clube da NFL, competição que começa a 7 de setembro. A estreia da formação de San Francisco vai acontecer três dias depois, diante dos Carolina Panthers.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG