Nadal procura o 11º título frente ao seu carrasco em Madrid

O espanhol tem dominado o Grand Slam francês, mas há um mês o austríaco Dominc Thiem saiu vencedor e deseja agora seguir o exemplo do compatriota Thomas Muster

O espanhol Rafael Nadal e o austríaco Dominic Thiem vão disputar no domingo a final do Roland Garros. Trata-se de um duelo entre o dominador do torneio francês e um estreante em finais do Grand Slam, com o tenista maiorquino a ter em vista o seu 11º título, depois de ter sido campeão por dez vezes nas últimas 13 edições.

O favoritismo na final vai todo para Rafael Nadal, que nos nove confrontos com Dominic Thiem em terra batida, venceu seis e perdeu três. Curiosamente, o último jogo entre os dois, realizou-se no dia 11 de maio, no Masters 1000 de Madrid, com o austríaco a levar a melhor nos quartos-de-final, com os parciais de 7-5 e 6-3. Thiem acabaria depois por perder a final para o alemão Alexander Zverev. O outro duelo disputado este ano foi no Masters 1000 de Monte Carlo, onde o espanhol venceu facilmente por 6-0 e 6-2.

Refira-se ainda que Nadal e Thiem vão defrontar-se pela terceira vez em Roland Garros, sendo que o atual número um do mundo venceu sempre em apenas três sets - em 2014 na 2ª eliminatória e em 2017 nas meias-finais.

Apesar de se apresentar como grande candidato a vencer o torneio, Rafael Nadal parece estar com maiores cautelas e ontem fez questão de elogiar o seu adversário na final. "Dominic é um jogador fantástico e já me bateu este ano em Madrid", sublinhou, apontando o "grande poder físico e a confiança com que está a jogar" os principais trunfos do austríaco. "Sei que tenho de jogar o meu melhor ténis porque será uma partida muito dura", acrescentou Nadal.

Thiem é o primeiro tenista austríaco a chegar a uma final de um Grand Slam depois de, em 1995, Thomas Muster ter vencido em Roland Garros, numa final com o norte-americano Michael Chang. O finalista do torneio francês surpreendeu após o final do jogo de ontem ao revelar que Muster "mandou uma mensagem" ao seu fisioterapeuta. "Temos uma relação especial e é um tenista modelo para todos os jogadores austríacos, pois ele foi o melhor de sempre no nosso país", sublinhou Dominic Thiem.

Rafael Nadal fala em "sorte"

A verdade é que Rafael Nadal voltou esta sexta-feira a passear a sua classe na terra batida de Roland Garros ao derrotar com facilidade o argentino Juan Martín del Potro, em apenas três sets, com os parciais de 6-4, 6-1 e 6-2. O número um do mundo vai agora vai tentar o pleno, ou seja, chegar ao 11º título em onze finais. Del Porto, que se ressentiu de uma lesão, pouco ou nada pode fazer sobretudo no segundo e no terceiro sets. "O primeiro set foi um pouco difícil e acabei por ter alguma sorte", admitiu Nadal no final do jogo.

Dominic Thiem chegou pela primeira vez a uma final de um Grand Slam ao derrotar a grande sensação do torneio deste ano, o italiano Marco Cecchinato, num jogo muito disputado, como indicam os dois primeiros parciais de 7-5 e 7-6 (12-10 no tie-break), sendo que no terceiro Thiem conseguiu um claro 6-1.

E bem se pode dizer que à terceira foi de vez, pois nas duas últimas edições de Roland Garros, o austríaco, que é número oito do mundo, caiu nas meias-finais perante os que viriam a ser vencedores do torneio: Djokovic (2016) e Nadal (2017). "Nos últimos dois anos cheguei às meias-finais, pelo que agora dei apenas mais um passo", assumiu Thiem no final da partida, considerando que "o tie-break do segundo set acabou por ser decisivo, porque Marco sentiu o peso da derrota nessa altura".

Stephens desafia favorita Halep

A romena Simona Halep, número do mundo, e a norte-americana Sloane Stephens, 10ª do ranking WTA, decidem este sábado quem sucede à letã Jelena Ostapenko como campeã de Roland Garros.

Certo é que haverá uma vencedora inédita neste torneio, sendo que Halep tenta conquistar o troféu que já lhe fugiu por duas vezes, quando perdeu as finais de 2014 para Maria Sharapova (2014) e no ano passado para Ostapenko.

Já Sloan Stephens, vencedora do US Open de 2017, tenta chegar à sua segunda vitória num Grand Slam, sendo certo que nos anteriores confrontos com a romena, apenas venceu por duas vezes, ambas em 2013. No ano passado, as duas tenistas defrontaram-se em Cincinnati e Washington DC, com Halep a triunfar em apenas dois sets.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG