Mentiram e estão dez anos proibidos de subir o Evereste

Casal de montanhistas indiano forjou provas de ter escalado a montanha mais alta do mundo. Autoridades do Nepal não perdoaram

Dinesh e Tarakeshwari Rathod são um casal de polícias indianos que afirmou ter chegado ao topo do Evereste a 23 de maio deste ano. Seriam assim o primeiro casal nativo do país a atingir o ponto mais alto do planeta Terra. Seriam porque veio a descobrir-se que tudo não passava de uma farsa. Agora, a brincadeira custou-lhes uma pena de dez anos... sem poderem subir o Evereste ou qualquer outra montanha do Nepal, de acordo com o Departamento de Turismo do país.

E como foram apanhados? Bem, outros montanhistas repararam em várias incongruências. A fotografia que imortalizava a chegada dos dois ao "teto do mundo" não passava de uma montagem. Além disso, outros montanhistas, bastante atentos, cedo observaram que existiam diferenças "estranhas" de fotografia para fotografia.

As roupas são diferentes e as botas mudam entre momentos registados, o que seria impossível de alcançar em tal subida sem ficar congelado, como afirmou um dos oito alpinistas que denunciou o casal.

Também as horas que o casal regista não batem certo com a luz e as sombras que deveriam estar presentes nesses determinados momentos.

O casal indiano limitou-se a usar as fotografias de outros alpinistas e modificaram-nas de modo a parecer que eram eles que estavam a conseguir o feito.

Um outro montanhista indiano, Satyarup Siddhantha, conseguiu desmascarar as alterações feitas às fotografias em questão, descobrindo que o casal se limitou a colocar as suas caras em imagens de Satyarup. Em suma, tudo não passou de uma farsa que foi levada muito seriamente pelo Nepal.

"A nossa investigação mostra que o casal simulou ter realizado a subida. Assim, determinámos uma proibição de eles escalarem todas as montanhas do Nepal durante dez anos. Apesar de várias tentativas para que esclarecessem o ocorrido, os dois alpinistas não cooperaram com a investigação. Os dois sherpas [grupo étnico residente nas regiões montanhosas do Nepal] que os ajudaram também estão em fuga", afirmou Prasad Dhakal, diretor do Departamento de Turismo do Nepal.

Além da pena de dez anos, o casal indiano vê ser-lhes anulado o certificado que comprovava o facto de terem subido aqueles 8.848 metros.

Dinesh e Tarakeshwari Rathod ainda tiveram alguma sorte, pelo facto de serem indianos. Isto porque as leis nepalesas preveêm castigos muito mais severos para este tipo de casos, como a proibição da entrada no país durante cinco anos. "Sendo indianos, não precisam de nenhum documento para entrar no Nepal e não é possível impedir um indiano de entrar no país. Portanto, essa sanção não faria sentido se fosse aplicada por nós", explicou Prasad Dhakal.

Para ajudar à descredibilização do casal, esta não é a primeira vez que são apanhados a mentir. Em 2014, Dinesh e Tarakeshwari afirmaram ter subido os dez picos mais altos da Austrália... mas depois veio a saber-se que afinal só tinha alcançado cinco. Agota tão cedo não haverá notícias sobre uma nova escalada do Evereste.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG