Marrocos eliminou a Espanha e isso interessa a Portugal

Seleção de Luis Enrique ficou-se pelos oitavos de final, depois de perder nas grandes penalidades com os marroquinos, que assim passaram aos quartos de final de um mundial pela primeira vez na história.

Marrocos qualificou-se pela 1.ª vez para os quartos de final de um Mundial ao eliminar ontem a Espanha, no desempate por grandes penalidades (3-0, após terminar o jogo 0-0), aguardando pelo vencedor do Portugal-Suíça.

Os espanhóis não marcaram qualquer penálti e isso promete dar que falar, depois do selecionador espanhol ter revelado que há um ano tinha dado trabalho extra aos jogadores: marcar mil penáltis nos treinos, para não voltarem a ser eliminados nos 11 metros. Tinham sido afastados nas grandes penalidades no Mundial 2018 e do Euro 2020 e para infelicidade de Luis Enrique a história repetiu-se no Qatar 2022.

La Roja é mesmo a seleção que mais vezes foi eliminada de um Campeonato do Mundo no desempate por penáltis. Em cinco, só por uma vez conseguiu seguir para a próxima fase.

À procura de fazer história, Walid Regragui apostou no onze habitual, trocando apenas Abdelhamid Sabiri por Selim Amallah. Já do lado espanhol, Luis Enrique voltou a surpreender ao fazer seis alterações e apostar na titularidade de Llorente na direita e ao deixar Morata (o joker espanhol deste mundial já com três golos) no banco de suplentes.

Apesar de pressionar muito alto a saída de bola de Marrocos, que tentava jogar curto e demorava a desenvolver o jogo e chegar à área de Unai Simón, os espanhóis só aos 27 minutos conseguiram uma oportunidade de golo. O remate de Asensio foi à malha lateral e de alguma forma isso deu alento ofensivo aos marroquinos, que criaram duas grandes oportunidade (por Noussair Mazraoui e Nayef Aguerd) a fechar uma primeira parte muito disputada e equilibrada.

Contrariar o favoritismo espanhol mantendo-se fiel ao seu estilo já era uma pequena vitória para os africanos e os seus 26% de posse de bola em 120 minutos. Da equipa espanhola esperava-se mais do que uma oportunidade de golo e um canto, mas havia algo que bom na exibição espanhola que fez o selecionador voltar com os mesmos onze para o segundo tempo.

E foram mais 45 minutos a moer o jogo. O jogo passivo de Marrocos e o jogo lento de Espanha arrancaram monumentais assobiadelas às bancadas. Para acelerar as coisas Luis Enrique recorreu a Nico Williams e a Morata, que não conseguiu manter a veia goleadora dos três jogos anteriores.

Walid Cheddira, Hakimi e Ounahi também não conseguiram bater Unai Simón, mas criaram muito frissón. No último lance da partida, Bono evitou o golo de Pedri e levou o jogo para prolongamento, onde os marroquinos estiveram mais perto de resolver a partida. Cheddira permitiu a defesa do guardião espanhol e tudo seria decidido nas grandes penalidades, onde Yassine Bono (foto) se agigantou ao defender dois penáltis e ver um bater no poste. E assim Marrocos fez história.

VEJA AQUI A ESTATÍSTICA DO JOGO.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG