Marc Márquez apanha susto em Valência, mas chega ao tetra

Espanhol esteve quase a cair, mas acabou no terceiro lugar

O piloto espanhol Marc Márquez (Honda) apanhou este domingo um grande susto, ao quase cair no Grande Prémio da Comunidade Valenciana, mas chegou ao quarto título mundial de MotoGP ainda antes do final da corrida.

Marquéz evitou por pouco a queda no final da reta da meta, a sete voltas do fim, numa saída de pista que o atirou do primeiro para o quinto posto, mas, instantes volvidos, o italiano Andrea Duvizioso (Ducati) 'entregou-lhe' o cetro, ao abandonar, depois de cair na curva oito do circuito de Valência.

Necessitado apenas de ser 11.º, e só se Dovizioso vencesse, Marquéz levou, depois, tranquilamente a sua Honda até ao final, para terminar em terceiro e repetir, aos 24 anos, os títulos conquistados em 2013, 2014 e 2016.

O mais jovem tetracampeão de MotoGP junta-se no quarto lugar do 'ranking' aos britânicos Geoff Duke, John Surteed e Mike Hailwood e ao norte-americano Eddie Lawson, ficando apenas atrás dos italianos Giacomo Agostini (oito títulos) e Valentino Rossi (sete) e do australiano Michael Doohan (cinco).

"Estou muito contente, é uma sensação espetacular", afirmou o espanhol, que, além dos quatro títulos na categoria rainha, soma ainda um em Moto2, em 2013, e outro em 125cc, agora Moto3, em 2010.

Em Valência, Marquéz arrancou na frente, mas foi rapidamente ultrapassado pelo francês Johann Zarco (Yamaha), deixando-se ficar, no controlo da corrida, em segundo lugar, com Duvizioso bem atrás, em quinto, incapaz de chegar-se à frente.

A oito voltas do fim, o espanhol 'chateou-se' de ir atrás de Zarco e ultrapassou-o, mas, no final da reta da meta, com sete voltas para a conclusão do campeonato, cometeu um erro e evitou por pouco a queda, mas não uma saída de pista.

"Durante a corrida, tentei sempre estar calmo e controlar a situação, mas, na naquela altura, pensei que era tempo de forçar, pois sentia-me bem. Só que, perdi a concentração na curva 1, na travagem... estilo Marquéz até final", explicou o espanhol.

Após o susto, Marquéz voltou à pista em quinto, imediatamente atrás de Duvizioso, que, pouco depois, ainda subiu a terceiro, face à queda do seu companheiro de equipa, o espanhol Jorge Lorenzo, após várias recusas às ordens da equipa para deixar o transalpino passar.

O transalpino nem sequer teve tempo, porém, para saborear o terceiro posto e ir à procura do primeiro, pois, caiu logo a seguir, na curva 8, entregando, desde logo, o título a Marquéz.

Com tudo decidido, o espanhol deixou-se ficar pelo terceiro lugar, a ver ao longe a lutar entre o compatriota Dani Pedrosa e Zarco pelo triunfo na corrida, que acabou por sorrir ao piloto da Honda, em 46.08,125 minutos, com o gaulês a 337 milésimos.

Marquéz foi terceiro, a 10,861 segundos, somando o 12.º pódio da época -- seis triunfos, quatro segundos lugares e dois terceiros -, com Alex Rins (Suzuki) em quarto e o italiano Valentino Rossi (Yahama) em quinto.

No Mundial, o tetracampeão fechou com 298 pontos, contra 261 de Dovizioso, segundo classificado, 230 do espanhol Maverick Viñales (Yahama), terceiro, 210 de Dani Pedrosa, que subiu a quarto, e 208 de Rossi, que caiu para quinto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG