Luisão festeja 500 jogos ao som do hino da Champions

O capitão faz amanhã 36 anos e na terça-feira atingirá uma marca histórica. "É impressionante", diz Ricardo Gomes ao DN

Luisão dá na terça-feira mais um passo para a galeria de jogadores notáveis do Benfica, pois atinge a marca de 500 jogos oficiais de águia ao peito, marca que apenas Nené, António Veloso e Mário Coluna tiveram o privilégio de alcançar e ultrapassar. Será depois de o hino da Liga dos Campeões ecoar num Estádio da Luz lotado e de o árbitro dar início à primeira mão dos oitavos-de-final com o Borussia Dortmund que o defesa brasileiro entra na história.

Foi na manhã do dia 22 de agosto de 2003 que Anderson Luís da Silva, de 23 anos, desembarcou no aeroporto de Lisboa. Em pleno verão, chegava de camisola de lã, de gola alta, e depressa lhe puseram um cachecol e um boné do Benfica. Estava longe de imaginar que aqueles primeiros passos em solo português iriam mudar a sua vida. Fora contratado por Luís Filipe Vieira, então ainda diretor para o futebol do Benfica, que satisfez um pedido do treinador espanhol José Antonio Camacho, que pretendia o gigante central do Cruzeiro, já internacional brasileiro, para estabilizar a sua defesa.

Luisão devia ter chegado um dia antes, mas como perdera o voo, apenas chegou naquela manhã de sexta-feira. Antes de conhecer o seu novo mundo foi ainda retido na alfândega do aeroporto porque ainda não tinha contrato assinado e chegava sem o visto de turismo. Ultrapassada a burocracia, enfrentou os jornalistas. "Estou muito feliz." Foram essas as suas primeiras e únicas palavras, deu para conhecer o timbre de uma voz grossa que iria tornar-se famosa na Luz.

No dia seguinte, já depois de realizados os exames médicos e assinado o contrato, assistiu ao triunfo do Benfica frente ao V. Guimarães (2-0), no Estádio Nacional, pois a nova Luz estava em construção. Ao intervalo recebeu a primeira grande ovação dos adeptos e após a partida entrou na sala de imprensa acompanhado de Eusébio e António Simões, duas das maiores lendas do clube... Luisão nem sonhava que mais de 13 anos depois teria mais jogos do que qualquer um deles ao serviço do Benfica. "O sonho de qualquer jogador é jogar num grande clube da Europa e eu, felizmente, consegui chegar a um desses clubes. Estou muito feliz por isso", afirmou na cerimónia de apresentação, onde revelou que o treinador lhe tinha pedido para começar a treinar o mais rapidamente possível. 23 dias depois de ter chegado a Lisboa estreou-se de águia ao peito num jogo com o Belenenses, e logo com um golo no empate 3-3, no Jamor.

Ricardo Gomes espera mais 250

Era o início de uma história incomum nos dias de hoje, em que os futebolistas passam pelos clubes a velocidade vertiginosa. "O Luisão vai fazer o jogo 500? Grande número! Ele merece", disse ao DN Ricardo Gomes, um dos mais brilhantes defesas centrais brasileiros que passaram pelo Benfica, que chegou a treinar o atual capitão encarnado na seleção olímpica do Brasil. "Ele tem uma carreira impressionante no Benfica. Só Nené, Veloso e Coluna têm mais jogos do que ele? É impressionante!", frisou o antigo central, hoje com 52 anos, e que explica esta longevidade com o facto de "Luisão ter feito boas escolhas na sua carreira". "Eu sei que ele teve várias propostas para sair, mas manteve-se fiel. Agora espero que faça mais 250 jogos no Benfica", sublinhou, mostrando-se convicto de que "ainda vai estar mais uma ou duas temporadas no clube". "Está em final de contrato? Mas vai renovar, ele merece", garantiu.

Ricardo Gomes usou "poucas vezes" a braçadeira de capitão dos encarnados e mostra-se surpreendido quando lhe dizemos que Luisão já leva 375 jogos como capitão. "É uma marca fantástica e mostra bem o grande líder que ele é", reforçou, acrescentando que "é preciso muita coisa, muito profissionalismo, para jogar ao mais alto nível durante tanto tempo num clube tão exigente como é o Benfica".

Luisão é jogador dos encarnados há 4924 dias, período durante o qual conquistou cinco títulos de campeão nacional, num total de 17 troféus conquistados, para os quais contribuiu com 45 golos, tendo participado em 317 vitórias do Benfica, 95 empates e 98 derrotas. Neste período, viu por 99 vezes o cartão amarelo e foi expulso cinco vezes. E a história continua... já na terça-feira, precisamente um dia depois de festejar o seu 36.º aniversário.