Ligas de Espanha e Portugal deram lucro no mercado

Entre compras e vendas, espanhóis com o melhor resultado em 17 anos. Os portugueses faturaram 233 milhões de euros

O mercado de transferências de verão fechou e trouxe uma novidade: as transações realizadas pelos clubes da liga espanhola deram o segundo maior lucro de sempre. Segundo dados fornecidos pelo site Transfermarkt, entre as compras e as vendas de jogadores registou-se um saldo positivo de 90,75 milhões de euros, montante só ultrapassado pelos 94,25 milhões registados há 17 anos, ou seja em 2000/01.

E tudo graças ao efeito Neymar, que bateu o recorde mundial de transferências, que permitiram ao Barcelona encaixar 222 milhões de euros. Espanha foi, aliás, a única das cinco maiores ligas europeias a ter lucro. Aliás, fora deste universo restrito é de realçar que os clubes da Liga portuguesa também conseguiram lucro, o maior de sempre, aliás, com 232,77 milhões de euros.

Em Portugal assistiu-se a uma grande retração no investimento, pois os clubes apenas gastaram cerca de 44,34 milhões de euros, o que representa o 11.º lugar no ranking do investimento realizado pelos emblemas nacionais no mercado de verão, bem longe do recorde de 114,13 milhões de euros registados em 2011/12.

Já que se fala em melhores marcas, é bom salientar que nunca os clubes da liga portuguesa arrecadaram tanto dinheiro em transferências de jogadores, pois atingiu-se os 277,11 milhões de euros, mais 27,46 milhões euros do que o encaixe registado no verão de 2015-16. E para este recorde muito contribuiu o Benfica, que faturou 128,95 milhões de euros em transferências de jogadores nesta janela de mercado.

Nas cinco maiores ligas europeias há um padrão que se pode destacar neste verão: todas elas bateram os recordes deste século em dinheiro investido em futebolistas, bem como atingiram novos máximos de receitas com a venda de atletas, segundo os dados fornecidos pelo Transfermarkt.

Por causa da contratação de Neymar pelo Paris Saint-Germain, o valor gasto pelos clubes franceses em contratações quase duplicou, tendo em conta a época 2013-14, que havia sido aquela com maior investimento. No total, foram pagos 673,4 milhões de euros - o maior valor do top 5 das ligas europeias -, dos quais 238 milhões foram gastos pelo PSG (ainda não entra a compra de Mbappé), bem distante dos 102 milhões investidos pelo Mónaco de Leonardo Jardim. Aliás, os monegascos gastaram tanto porque fizeram um dos maiores encaixes entre todos os clubes europeus, com 177,5 milhões de euros.

O PSG apresenta um diferencial muito grande entre compras e vendas (faturou apenas 62 mil euros), razão pela qual a UEFA abriu ontem uma investigação formal por suspeitas de violação do fair play financeiro. Aquele organismo revelou mesmo que irá analisar toda a documentação das transferências realizadas pelo clube de Paris.

Guedes cedido ao Valência

O mercado em Espanha apenas fechou ontem, sem grandes transações a registar apesar de o Barcelona ter feito tudo para contratar Angel Di María ao PSG, tendo chegado a apresentar uma proposta de 40 milhões de euros, mais variáveis, mas os parisienses mantiveram-se irredutíveis em receber 60 milhões de euros, de acordo com o jornal catalão Sport.

Assim sendo, a principal novidade acabou por ser a concretização do empréstimo de Gonçalo Guedes ao Valência até final da época. No entanto, o PSG não incluiu qualquer cláusula de opção de compra do internacional português.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG