Liga inglesa é a que mais enche os estádios mas é o Bayern que reina nas assistências

A Premier League tem uma taxa de ocupação de 95,22%, mas é no Allianz Arena que quase não dá para caber mais uma mosca: 99,97%. Campeão francês Mónaco e campeonato italiano são as principais desilusões

A olho nu, já dava para desconfiar, mas as estatísticas confirmam: a liga inglesa é, das cinco principais na Europa, a que tem os estádios mais cheios. A taxa de ocupação é de 95,22%, valor ligeiramente superior ao da alemã (91,78%) e que goleia a espanhola (72,44%), a francesa (68,34%) e a italiana (57,77%), de acordo com o portal Deportesyfinanzas.com, em dados referente à temporada transata.

Entre os 98 clubes das big five, o rei é o Bayern Munique, com o Allianz Arena a registar uma afluência de 99,97% na época passada. Quase que não dava para caber mais uma mosca no recinto dos bávaros, que assim registaram uma assistência média de 74 978 espectadores, quando a lotação é do estádio é de 75 mil.

O segundo da lista também é germânico, o Friburgo, 7.º classificado da última edição da Bundesliga, que contou com 99,68% dos 24 mil lugares do Estádio Schwarzwald preenchidos. Seguem-se quatros equipas da Premier League, prova representada por sete clubes no top 10, com o campeão Chelsea à cabeça.

Gigantes como Real Madrid, Barcelona, Inter e Milan aparecem em posições baixas, os três últimos até na segunda metade da tabela, o que por um lado também é justificado pelas dimensões colossais dos estádios, que podem enviesar a percentagem, mas não explicam tudo. O campeão francês Mónaco, por exemplo, tem um recinto com capacidade para 18 500 pessoas mas, apesar da brilhante temporada, apenas ocupou 58,1% da lotação. O contrário verifica-se nos gigantescos Old Trafford e Signal Iduna Park, casas de Manchester United (99,53%) e Borussia Dortmund (97,9%), que desportivamente até tiveram épocas modestas a nível doméstico mas que não deixaram de estar repletas de adeptos. A formação germânica é mesmo a que tem melhor média de assistências, 79 649 espectadores, seguida do Barcelona (77 526).

Leganés lidera em Espanha

A liga espanhola é a única, das cinco, que não tem qualquer estádio com uma taxa de ocupação igual ou superior a 90%. O valor que mais se aproxima é o do Estádio de Butarque (87,67%), o palco de 10 922 lugares onde o modesto Leganés disputa os jogos caseiros. Real Madrid (84,6%), Eibar (81,41%), Atlético Madrid (81,41%) e Osasuna completam o top 5. O Barcelona aparece em 7.º lugar e o vizinho Espanyol é mesmo a única equipa do país vizinho que não consegue encher mais de metade do estádio (49,7%).

Em Inglaterra, a equipa com pior registo tinha 81,14% do seu estádio preenchido, um valor que faz corar de inveja muitos gigantes europeus. Estamos a falar do Hull City, que na segunda metade da temporada passada foi orientado por Marco Silva. Curiosamente, quatro dos cinco estádios com maior afluência são da capital Londres, uma autêntica cidade do futebol.

Entre a Premier League e a Bundesliga não há grandes diferenças. Na Alemanha, apenas o Hertha Berlim (63,62%) fica abaixo de uma taxa de ocupação abaixo dos 80% - muito por culpa da colossal capacidade do Estádio Olímpico: 74 475 espectadores. Numa França onde o Paris Saint-Germain domina e o Mónaco desilude no que concerne à taxa de ocupação, o Montpellier é a única equipa que não consegue encher metade do seu estádio (43,20%).

Bem mais desolador é o cenário em Itália, que tem estádios portentosos como o napolitano San Paolo (60,76%), San Siro (58,26% com Inter e 50,4% com Milan) e Olímpico de Roma (46,21% com Roma e 28,96% com Lazio) com demasiadas clareiras. A formação laziale tem mesmo o pior registo entre as 98 das cinco principais ligas.

Benfica seria 37º

Se a liga portuguesa entrasse para estas contas, o Benfica estaria em 37.º lugar (86,56%), entre os alemães do Hoffenheim (85,98%) e do Augsburgo (85,16%), ambos com estádios a rondar os 30 mil lugares. Logo a seguir, em 39.º, viria o Sporting (85,46%), que estaria à frente do Real Madrid.

Mais abaixo, em 50.º, estaria o Marítimo (78,96%) e, em 60.º, o FC Porto (74,21%), de acordo com as taxas de ocupação divulgadas pela Liga referentes à temporada passada. Vitória de Guimarães (62,5%) e Feirense (54,53%) são as restantes equipas que conseguem encher mais de metade dos respetivos recintos. Quem está pior nestas contas é o Boavista, que na época passada teve o Bessa preenchido em apenas 22,24%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG