Libertadores. Palmeiras, de Abel Ferreira, destroça River e está quase na final

O encontro da segunda mão das meias-finais realiza-se na terça-feira, no Allianz Parque, em São Paulo, onde o conjunto de Abel Ferreira até pode chegar à final do Maracanã, no Rio de Janeiro, a 30 de janeiro, perdendo por dois golos.

O Palmeiras, comandado pelo treinador português Abel Ferreira, deu na terça-feira um passo de gigante rumo à final da Taça Libertadores em futebol, ao bater fora o River Plate por 3-0, na primeira mão das meias-finais.

Em Avellaneda, Rony (27 minutos), Luiz Adriano (47) e Matias Viña (62) apontaram os tentos do 'verdão', que procura o segundo título, depois do arrebatado em 1999, e a quinta final, repetindo também 1961, 1968 e 2000.

Os argentinos até começaram melhor e criaram as primeiras oportunidades, mas, aos 27 minutos, uma falha do guarda-redes Armani, um deficiente corte com os pés, deixou a bola para o remate colocado de Rony de pé direito, que deu vantagem aos brasileiros.

Em desvantagem, o River Plate, finalista vencido face ao Flamengo de Jorge Jesus em 2019 e vencedor da prova pela quarta vez em 2018, 'desapareceu' do jogo, que passou a ser controlado pelos brasileiros, mesmo com alguns 'sustos' pelo meio.

Nacho Fernández ainda ameaçou o empate, num livre à barra, aos 44 minutos, mas, no início da segunda parte, aos 47, Luiz Adriano fez o que quis de Rojas e correu isolado para a baliza do River, batendo sem problemas o desamparado Armani.

Aos 60 minutos, o 'onze' de Marcelo Gallardo ficou reduzido a 10 unidades, depois de uma agressão de Carrascal, de 'cabeça perdida', e, na sequência do respetivo livre, aos 62, o uruguaio Viña faturou de cabeça, servido por Gustavo Scarpa.

Na última meia hora, e mesmo com 10, o River tentou reduzir a desvantagem, mas, em contra-ataque, foi o Palmeiras que esteve mais perto do quarto, nomeadamente por Gabriel Menino, aos 85 minutos, e num falhanço escandaloso de Rafael Veiga, aos 86.

"Eu tinha dito aos jogadores que, independentemente do resultado que conseguíssemos aqui, este jogo tinha duas mãos, ida e volta. Continuaremos focados. Temos esta vantagem, mas, assim como nós fizemos três golos aqui, é possível o River fazer três lá. Temos de estar alerta e preparados para fazer outro grande jogo", disse Abel Ferreira no final da partida.

O treinador português elogiou o desempenho da sua equipa, lembrando a qualidade do adversário. "Quero dar parabéns aos meus jogadores, que usaram a parte mental a nosso favor. Seguimos o plano e a estratégia do jogo. Do outro lado, jogámos contra uma grande equipa que é o River, uma das melhores equipas sul-americanas, com um treinador [Marcelo Gallardo] que está na equipa há cinco anos com um trabalho sensacional e uma forma de jogar muito difícil de marcar", declarou.

A final da Libertadores está marcada para 30 de janeiro, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

O encontro da segunda mão das meias-finais realiza-se na terça-feira, no Allianz Parque, em São Paulo, onde o conjunto de Abel Ferreira até pode chegar à final do Maracanã, no Rio de Janeiro, em 30 de janeiro, perdendo por dois golos.

A primeira mão das meias-finais completa-se hoje, com mais um confronto entre argentinos e brasileiros, no La Bombonera, em Buenos Aires, onde o Boca Juniors recebe o Santos.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG