Júlio Vieira de Castro quer levar V. Guimarães à Champions em três anos

Engenheiro mecânico de 43 anos é o sócio número 2035 dos vimaranenses

Júlio Vieira de Castro apresentou-se esta segunda-feira como o candidato à presidência do Vitória de Guimarães, da I Liga, e pretende, ao fim de três anos, apurar o clube para a Liga dos Campeões.

Sócio número 2.035 do emblema vimaranense, o engenheiro mecânico, de 43 anos, encabeça o movimento denominado Novo Vitória e prometeu, diante de 200 vitorianos que lotaram um auditório na Plataforma das Artes e da Criatividade, em Guimarães, "inverter o ciclo depressivo" que o clube vive e levá-lo à maior prova europeia de clubes no último ano do primeiro mandato, caso seja eleito nas eleições de março.

"Ao fim de três anos do nosso mandato, o Vitória tem de estar apurado para a 'Champions'. É a nossa ambição. O Vitória é o maior clube da região, e o quarto lugar tem de ser nosso por natureza. Portanto, temos de atingir os três primeiros lugares para atingirmos a 'Champions'. Essa é a nossa ambição", afirmou aos jornalistas, no final da cerimónia de apresentação.

O primeiro candidato oficializado disse querer implementar no clube vitoriano uma "nova mentalidade", "ambição e garra" que levem a triunfos tanto no futebol, como nas modalidades amadoras, e criticou a alegada desistência da "aposta desportiva a médio e longo prazo" por parte da atual direção, liderada por Júlio Mendes.

"Estava-me a referir concretamente à equipa B, à formação -- também pode incluir a equipa A. Temos oito jornadas extremamente difíceis pela frente, e temos uma equipa com algumas carências", esclareceu.

Questionado sobre o futuro de Pedro Martins no comando técnico da equipa principal vitoriana, Júlio Vieira de Castro frisou que o técnico vai manter-se no clube até junho de 2018, caso seja eleito, e pretende dar-lhe "estabilidade" para que a equipa por si treinada possa continuar a lutar pelo quarto lugar na I Liga.

O único candidato até agora oficial na 'corrida' à presidência dos vimaranenses pretende ainda que o clube e a SAD funcionem em "simbiose", com "rigor e sustentabilidade financeira", incluir mais os sócios na tomada de decisão, lembrando os adeptos espalhados "pelo país e pelo mundo" e fazer com que o clube tenha "a sua própria voz", já que está na "primeira linha do desporto nacional".

"Será sempre a nossa voz quem liderará a defesa dos nossos interesses. Nenhuma outra o fará. Muito menos essa tarefa ficará dependente da vontade de terceiros", prometeu durante o discurso de apresentação

Questionado sobre o facto de Júlio Mendes, prestes a terminar o segundo mandato à frente do clube, não se ter até agora pronunciado sobre uma eventual recandidatura -- o atual presidente vitoriano disse, em outubro, que iria anunciar a decisão em janeiro ou fevereiro -, Júlio Vieira de Castro disse que vai aguardar.

"Tenho de aguardar. Tanto de Júlio Mendes, como de qualquer outro vitoriano que tenha a legítima ambição de querer concorrer às eleições. Neste momento, apresentado estou eu, estamos cá, vamos até ao fim", referiu.

Uma das novidades da apresentação da candidatura foi a escolha de Ziad Tlemçani, avançado do clube entre 1990/91 e 1994/95 (46 golos) e hoje empresário, que já foi também vice-presidente do Espérance de Tunis, como diretor-geral da SAD, caso vença o ato eleitoral.

Presente na cerimónia, o empresário, de 54 anos, que está ligado à Associação de Amizade Portugal Tunísia, lembrou os anos que passou ao serviço do clube e a ligação que estabeleceu com a cidade, enquanto o candidato à presidência sublinhou que o tunisino pode dar "projeção do Vitória a nível global, "através de parceiros, através de contactos que tem".

"O Ziad é um empresário de sucesso, com contactos em empresas à escala mundial. Portanto, o Ziad pode aportar muito ao Vitória Sport Clube. E ele já nos garantiu que está connosco", frisou.

A lista encabeçada por Júlio Vieira de Castro inclui como candidatos a vice-presidentes, Pedro Meireles, campeão nacional de ralis em 2014 e vice-campeão em 2017, José Maria Gomes Alves, Duarte Magalhães e João Nuno Pacheco.

O candidato à presidência da Mesa da Assembleia-Geral é Pedro Freitas, sócio dos vitorianos há 66 anos, enquanto Rui Rodrigues é a escolha para o Conselho Fiscal. O candidato a presidir o Conselho de Jurisdição é João Ildo Freitas, com Belmiro Jordão a servir de mandatário da candidatura.

.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG