Jorge Jesus reencontra o seu primeiro clube no futebol sénior

Sporting discute hoje presença nas meias-finais com o Cova da Piedade, um clube "especial"para o técnico leonino

Jorge Jesus recordou ontem os seus primeiros tempos de jogador, quando deixou os juniores do Sporting e rumou à margem sul, ao Cova da Piedade, equipa que irá reencontrar esta noite (20.30 horas), no Estádio do Bonfim, nos quartos-de-final da Taça de Portugal. Foi na época de 1972/73, quando o clube militava na Zona Sul da II Divisão, a qual terminou a meio da tabela.

"O Cova da Piedade é um clube especial, que me acarinhou. Era uma das boas equipas da segunda divisão e foi onde comecei a dar os meus primeiros passos como sénior. É um clube que nunca esquecerei", assumiu o treinador do Sporting, que lamentou a impossibilidade de a partida desta noite se disputar no campo do Cova da Piedade, embora reconheça que "seria muito difícil". "O estádio não tinha capacidade para receber todos os adeptos e por isso considero que foi bem mudado, na defesa da qualidade e dos adeptos".

À pergunta sobre se o Cova da Piedade pode sonhar com o apuramento para as meias-finais, Jorge Jesus foi direto: "Pode sonhar. Porque não? O futebol é o único desporto coletivo que uma equipa mais fraca em termos individuais pode ganhar."

Foi nessa perspetiva que Bruno Ribeiro, o treinador dos piedenses, assumiu ontem o desejo de "fazer uma gracinha" frente ao Sporting, embora reconhecendo que "do outro lado estará uma grande equipa". "Temos estado a praticar um bom futebol e os jogadores estão preparados e motivados", su-blinhou, reforçando a ideia de que o objetivo é "ganhar e fazer história", afinal chegar às meias-finais da Taça de Portugal "seria muito importante para o clube". E é nesse sentido que avisa que os seus jogadores "têm de pôr na cabeça que é possível ganhar".

Se conseguir afastar o Sporting, o Cova da Piedade alcançará um feito raro na história da Taça de Portugal, uma vez que só três equipas de escalões secundários conseguiram eliminar um dos três grandes numa fase tão adiantada da prova: O V. Setúbal nas meias-finais de 1942/43 e o Es-toril nos quartos-de-final de 1943/44, ambos diante do FC Porto; e ainda a Naval nos quartos-de-final de 2002/03, em Alvalade, com o Sporting.

Jesus trava comboio de Wendel

Os leões apresentam-se no Bonfim ainda sem o médio brasileiro Wendel, recém-contratado ao Fluminense, pois segundo Jorge Jesus "ainda não tem condições burocráticas e muito menos desportivas" para jogar. E explica porquê: "Chegar e poder jogar um dia ou dois depois numa equipa que eu trabalho é quase impossível independentemente da qualidade individual. Está a adaptar-se. Tem 20 anos. Tem muito para aprender taticamente. Vai ter ainda muita dificuldade para apanhar o comboio."

O treinador leonino foi ainda questionado sobre a possibilidade de perder Piccini (lesionado, não joga hoje) durante este mercado de inverno. Jesus admitiu que o defesa-direito "tem algumas equipas de grande qualidade, principalmente em Itália" interessadas nele, algo que não o surpreende pois "não há muitos jogadores com as suas características".

Rio Ave assume objetivo da final

Após eliminar o Benfica, o Rio Ave enfrenta esta tarde (19.00 horas), em Vila do Conde, o Desp. Aves, com a expectativa de chegar às meias-finais. Ainda assim, o treinador Miguel Cardoso recusa a ideia de favoritismo, pois trata-se de "duas equipas com um conjunto de jogadores de qualidade", embora tenha admitido ter bem viva a esperança de "chegar à final". No entanto, avisou que "qualquer atitude de menor atenção ou sobranceria" pode ser fatal para o Rio Ave, que procura chegar à terceira final da Taça de Portugal da sua história, mas para isso terá de ultrapassar do Desp. Aves, que nunca esteve numas meias-finais da prova.

Esta é a segunda vez que estas duas equipas se encontram para a Taça de Portugal, sendo que na anterior, na Vila das Aves, em 1994, os vila-condenses venceram por 3-0.

No único jogo entre equipas do Campeonato de Portugal, o Caldas recebe o Farense, naquele que será o terceiro confronto entre os dois emblemas nesta prova - em 1978 os algarvios levaram a melhor, enquanto em 2011 foi a equipa das Caldas a seguir em frente. Rui Duarte, treinador do Farense, expressou o desejo de "dar uma enorme alegria aos adeptos" do clube que na época de 1989/90 foi finalista vencido da Taça de Portugal, num duelo com o Est. Amadora.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG