Jesus só venceu uma vez para a Liga na casa dos dragões

Treinador do Sporting tem de vencer no Dragão para continuar a lutar pelo título. Duelos com o FC Porto têm sido traumáticos

O FC Porto-Sporting de sábado (18.30, Sport TV) é fundamental para os leões se manterem vivos na luta pelo título. É um clássico em que só a vitória interessa à equipa de Jorge Jesus para manter acesa a esperança, independentemente do que aconteça na véspera no jogo entre o Benfica e o V. Guimarães.

Jorge Jesus vai regressar a um palco onde apenas conseguiu vencer uma vez em jogos a contar para o campeonato. Foi precisamente na época passada, à 15.ª visita ao FC Porto como treinador, ao serviço do Benfica, graças a dois golos de Lima (2-0). De resto, ainda na Liga, o atual técnico do Sporting só conseguiu dois empates (pelo Sp. Braga e Benfica) no reduto dos dragões em mais de 20 anos como treinador da I Divisão.

Os números não enganam e colocam em Jorge Jesus uma pressão extra para alcançar um triunfo no sábado que lhe permita continuar a pensar no título com duas jornadas por disputar. Na realidade, as retas finais de campeonato ainda acentuam mais as dificuldades do treinador de 61 anos conquistar os três pontos nas visitas ao FC Porto. Foram sete jogos nas últimas quatro jornadas e o melhor que conseguiu foi um empate 1-1 quando orientava o Sporting de Braga, em 2008-09, numa altura em que os portistas já eram campeões e os bracarenses tinham garantida a ida à Liga Europa.

O episódio mais marcante destes confrontos nos finais de campeonato registou-se a 11 de maio de 2013, quando ao Benfica de Jesus bastava um empate no Dragão para ficar, a uma jornada do fim, a um curto passo de conquistar o título. Só que, no tempo extra, um remate de Kelvin fez rebentar a festa azul e branca e fez ajoelhar Jorge Jesus em pleno relvado portista. O FC Porto passava para a liderança e na ronda seguinte sagrava-se campeão.

Três anos antes, já Jesus tinha sofrido um dissabor, também na última jornada. Um empate no Estádio do Dragão coroava de imediato o Benfica como campeão em 2009-10. Só que os portistas puxaram pelo orgulho e venceram por 3-1, adiando tudo para a última jornada, na qual os encarnados confirmaram o título.

Em 2013-14, já com o título no bolso, o Benfica de Jesus fechou o campeonato no Dragão... e nova derrota, agora por 2-1, num jogo em que o técnico poupou alguns jogadores, que poucos dias depois disputaram a final da Liga Europa com o Sevilha. De resto, nas outras três visitas ao terreno do FC Porto nas últimas quatro jornadas, outras tantas derrotas, duas pelo Estrela da Amadora (1999 e 2000) e outra pelo Belenenses (2007).

Duas goleadas marcantes

Os outros grandes pesadelos vividos por Jorge Jesus nas visitas ao Dragão foram duas goleadas. Na estreia, ainda nas antigas Antas, viu o seu Felgueiras perder por 6-2, na época 1995-96. Mas mais dolorosos terão sido os 0-5 com que o Benfica baqueou em 2010-11 perante o FC Porto de Villas-Boas.

A primeira vez que Jesus venceu o rival foi a 20 de dezembro de 2009, graças a um golo de Saviola, na Luz. Depois disso só ganhou mais sete partidas, mas apenas uma por mais de dois golos de diferença: 3-0, na final da Taça da Liga, no Algarve, precisamente um ano depois.

Quando no sábado voltar a pisar o relvado do Estádio do Dragão, Jorge Jesus fará o 39.º jogo como treinador frente ao FC Porto. Tudo começou há 20 anos, sete meses e seis dias, quando recebeu os portistas em Felgueiras e empatou 1-1. No entanto, o que se seguiu nestes confrontos não é nada animador, pois só ganhou 21% dos jogos.

César Peixoto e o "mero acaso"

Oito vitórias (a última das quais já pelo Sporting, em Alvalade), nove empates, 21 derrotas e um saldo negativo de 15 golos (ver quadro) é o registo de Jorge Jesus com o FC Porto em todas as competições.

César Peixoto, que foi orientado pelo técnico de 61 anos no Sp. Braga e no Benfica, não acredita em malapata de Jesus frente aos dragões. "É difícil jogar em casa do FC Porto, eu sei bem disso porque joguei no clube e também fui adversário", recordou, deixando a garantia de que "Jorge Jesus prepara todos os jogos da mesma maneira". "Com ele fui ao Dragão pelo Sporting de Braga e pelo Benfica e não houve qualquer preparação diferente para essa partida", assegurou, reforçando a ideia que, "à exceção deste ano, normalmente as equipas portuguesas não vencem naquele estádio". Ou seja, na prática, de cada vez que se desloca ao Estádio do Dragão, o atual treinador do Sporting "não se sente intimidado, nem acusa a pressão do jogo".

O facto de apenas ter ganho oito partidas em 38 frente ao FC Porto, em todas as competições, é algo classificado por César Peixoto como "mero acaso". "Até acredito que no sábado o Sporting vá lá ganhar, pois, com exceção do jogo em casa com o Benfica para a Liga, tem sido mais forte nos confrontos com os rivais", vaticinou.

No que diz respeito à imagem marcante de 2012-13, em que Jesus se ajoelhou após o golo de Kelvin, César Peixoto considera que "foi apenas uma situação que marcou o campeonato". "Foi um ato de puro instinto, no meio da emoção e que se faz num milésimo de segundo. Acho mesmo que o que custa a Jesus é ter perdido o campeonato e hoje até se deve rir com o facto de se ter ajoelhado", concluiu o antigo internacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG