Vitória de Rui Teixeira e tricampeonato para o Sporting

O atleta do Sporting Rui Teixeira sagrou-se este domingo campeão nacional de corta-mato longo, em Monforte, distrito de Portalegre.

Coletivamente, o Sporting acabou por conquistar o título, sagrando-se tricampeão, numa prova em que o campeão em título, Rui Pinto (Benfica), conquistou o segundo lugar do pódio.

"Ser campeão nacional é o sonho de todos. Desde que comecei a correr, apaixonei-me pelo corta-mato. Sempre gostei, treinei a época toda em percurso de corta-mato e hoje consegui realizar o meu sonho", disse Rui Teixeira, em declarações à agência Lusa.

O atleta do Sporting sublinhou ainda o despique que manteve ao longo da prova com o rival Rui Pinto.

O Sporting já tinha garantido o acesso à Taça dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato em 2019 (seniores masculinos e femininos), como vencedor dos títulos europeus deste ano.

No campeonato nacional de juniores femininos, sagrou-se campeã a atleta do Sporting de Braga Mariana Machado, e, por equipas, o título foi entregue ao Sporting.

Nos juniores masculinos, Ruben Sousa do Sporting conquistou o título de campeão nacional e o Benfica arrecadou o título por equipas.

Classificação da prova de seniores masculinos:

1. Rui Teixeira (Sporting), 32.16 minutos.

2. Rui Pinto (Benfica), 32.38.

3. Samuel Barata (Benfica), 32.48.

4. Rui Pedro Silva (Sporting), 33.03.

5. Ricardo Dias (Sporting), 33.09.

6. Alberto Paulo (Sporting), 33.11.

7. Helder Santos (Sporting), 33.14.

8. Eduardo Mbengani (Benfica), 33.15.

9. Licínio Pimentel (Sporting), 33.17.

10. António Silva (Sporting), 33.19.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?