"Ronaldo ganha a Bola de Ouro. Será ele ou Messi até à retirada"

France Football divulga o vencedor ao final da tarde. Luis Suárez, o mais antigo premiado ainda vivo, diz ao DN que não tem dúvidas de que CR7 merece mais do que o argentino

Cristiano Ronaldo deverá receber esta tarde, pelas 18.45 portuguesas, a sua quinta Bola de Ouro, prémio com que a revista France Football distingue o melhor jogador do ano, neste caso de 2017. Lionel Messi é o outro forte candidato, mas a vantagem estará do lado do internacional português que em outubro recebeu o prémio The Best da FIFA. Quem o defende ao DN é Luis Suárez, o único espanhol que conquistou o prémio, na edição de 1960, e que é o mais velho vencedor vivo.

Por tudo o que ganhou neste ano, Cristiano Ronaldo vai ganhar a Bola de Ouro. Venceu praticamente tudo, tanto na seleção portuguesa como no Real Madrid, não houve nenhum melhor do que ele, começou por dizer ao DN o ex-internacional espanhol que se notabilizou no Barcelona e no Inter Milão, hoje com 82 anos e radicado em Itália, considerando que não vê ninguém nos próximos anos capaz de rivalizar com CR7 e Messi.

Como disse, Ronaldo ganha este ano a Bola de Ouro e a luta será sempre entre ele ou Messi até à retirada dos dois. Ainda há poucos anos Xavi e Iniesta ganharam tudo pelo Barcelona e o Mundial por Espanha e quem venceu foi Messi. São dois monstros, marcam muitos golos, é quase impossível alguém superá-los nos próximos anos. Jogam em dois dos principais clubes mundiais, são decisivos, elogiados por todos, alguém consegue ver outros jogadores que possam vencê-los? Eu não, salientou o antigo médio, arriscando nomes de craques que poderão no futuro, após a retirada de Messi e Ronaldo, ambicionar ganhar o troféu.

Acredito que Neymar e Mbappé possam, dentro de alguns anos, rivalizar por este troféu. São jovens, marcam golos e jogam em seleções fortes e importantes [Brasil e França]. São aqueles que eu vejo mais preparados, assinalou.

Mesmo antes de desligar o telefone, tendo-se mostrado bastante simpático e atencioso, Luis Suárez também não quis deixar de passar esta oportunidade para revelar ao DN alguma estranheza pela forma como esta distinção é atribuída, dando alguns exemplos dos anos 1960. Nunca percebi muito bem estas votações. Ganhei em 1960 depois de ter conquistado a Liga e a Taça das Cidades com Feiras pelo Barcelona. Em 1964 ganhei o campeonato pelo Inter Milão e o Europeu com a Espanha. Mas fui segundo atrás do Denis Law, afirmou o ex-jogador, o único futebolista do país vizinho a ter conquistado este troféu.

Outros espanhóis também mereceram este prémio, por exemplo, mais recentemente Xavi e Iniesta, mas tudo depende do momento e da sorte de não ter outros grandes jogadores a praticar um grande futebol nesse ano. Houve até hoje grandes futebolistas que nunca venceram, e não é por isso que não deixam de ficar na história, concluiu o mais antigo vencedor da Bola de Ouro ainda vivo, pois Stanley Mathews, o primeiro, Di Stéfano e Raymond Kopa já faleceram.

Torre Eiffel recebe cerimónia

Tudo indica que Cristiano Ronaldo vai receber hoje a sua quinta Bola de Ouro, igualando a marca do rival Lionel Messi. E como palco CR7 terá o topo da Torre Eiffel, em Paris. Este dado, porém, não é oficialmente confirmado, pois a France Football aponta apenas para um lugar majestoso. Alguns jornais, contudo, dão a Torre Eiffel como uma certeza.

A transmissão ficará a cargo do jornal LÉquipe (publicação do mesmo grupo da France Football), que divulgou alguns pormenores da cerimónia. O início está previsto para as 15.00, com a divulgação dos jogadores que ficaram entre o 30.º e o 16.º lugar, às 16.45 será a vez de os jogadores entre a 15.ª e a quarta posição serem revelados.

Ainda de acordo com o LÉquipe, a cerimónia dos três primeiros classificados não começará antes das 18.45, altura em que o vencedor ficará logo a ser conhecido e só posteriormente o segundo e terceiro classificados. Após receber o troféu, o vencedor dará uma entrevista ao ex-jogador de futebol David Ginola.

Esta eleição foi feita por 176 jornalistas de diversos meios de comunicação social de toda a Europa e que apenas votaram na lista de 30 jogadores disponibilizada pela revista France Football.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.