Renato Sanches pediu para voltar mas é sonho difícil de concretizar

Bayern está mais inclinado para vender o passe do médio português para recuperar parte do investimento feito

Renato Sanches pediu ao seu empresário, Jorge Mendes, para tentar convencer os responsáveis do Bayern de Munique a emprestá-lo ao Benfica durante a próxima época, mas a operação parece muito complicada de se concretizar.

Os contactos já decorrem desde o início do ano, numa altura em que o médio de 20 anos já estava cedido pelos bávaros ao Swansea, da I Liga inglesa, mas segundo o DN apurou junto de fonte conhecedora do processo, o entendimento está muito longe de ser concluído, sobretudo devido às exigências do Bayern de Munique.

Com o meio-campo preenchido e devido ao facto de o internacional português não ter conseguido em Inglaterra voltar a provar o valor que levou os responsáveis do Bayern a pagarem 35 milhões de euros ao Benfica em 2016 pela sua contratação, a prioridade do clube alemão é pôr Renato no mercado para tentarem reaver (pelo menos) algum do investimento feito há cerca de dois anos.

Apesar de não ter conseguido impôr-se - no Bayern e no Swansea - e mostrado as credenciais que fizeram dele na época 2015-16 um dos jogadores mais cobiçados, até porque na altura tinha 18 anos, a verdade é que há clubes interessados na sua contratação, caso do Wolverhampton, de Inglaterra, e do Inter de Milão, de Itália. E como os bávaros não querem perder totalmente o investimento feito, estão mais inclinados para uma venda em definitivo, o que torna complicado o seu regresso ao Benfica.

A vontade de Renato Sanches até poderia ser determinante para decidir o seu futuro, e nesse caso o Benfica estava no topo das suas prioridades. Mas não é o caso. Porque mesmo que o Bayern decida voltar a cedê-lo por mais uma época, coloca como condição que o clube suporte na totalidade o salário do médio internacional português, que aufere cerca de dois milhões de euros limpos por época. Além disso, convém lembrar que a própria cedência implicará custos.

Ou seja, o desejo do médio de 20 anos, e também do Benfica, para já não passa disso mesmo, um desejo. A SAD do Benfica também não descarta investir no regresso do jovem, ou seja, em comprar o passe ao Bayern de Munique, mas nunca pelos números que o clube alemão pretende, acima dos 20 milhões de euros.

Depois de dois anos muito apagados, em que também foi prejudicado por algumas lesões que o obrigaram a paragens mais ou menos prolongadas, Renato Sanches entende que para voltar ao nível de 2016 terá de regressar a Portugal para perto da família e ao Benfica. Fonte próxima do jogador revelou ao DN que o futebolista se "arrependeu" de ter ido tão jovem para um campeonato exigente como o alemão e que "em Portugal poderia voltar a ser o Renato que todos conheceram".

O jovem confia também que o empresário Jorge Mendes poderá ter um papel importante na tentativa de convencer os responsáveis do Bayern de Munique, mas até agora os contactos entre o representante do atleta e os bávaros têm sido superficiais. Existem, sim, conversas entre Renato Sanches, Benfica e Jorge Mendes para estudarem o melhor plano para convencer o clube alemão a ceder o jogador.

E, nesse plano, segundo o DN apurou, poderão estar envolvidos nomes de jovens promessas do Benfica, nomeadamente Úmaro Embaló e também João Félix, que o Bayern de Munique segue atentamente há algum tempo. Por agora, no entanto, só há planos e nada alinhavado para o regresso de Renato Sanches a Portugal e ao Benfica.

Murillo reentra na agenda

O central do Cruzeiro Murilo, de apenas 21 anos, foi ontem novamente colocado na rota dos encarnados. O Benfica segue o jogador desde o final do ano passado, mas até ao momento ainda não avançou com qualquer proposta.

No início de 2018, o clube das águias chegou a perguntar o valor da promessa brasileira, mas os oito milhões de euros pedidos pelo emblema de Belo Horizonte fizeram que a SAD do Benfica recuasse.

O primeiro objetivo do Benfica para o centro da defesa é o argentino Germán Conti, que está praticamente fechado, mas o clube português continua no mercado à procura de outra solução para o eixo defensivo.

Exclusivos