Pedro Martins deixa Vitória de Guimarães

Decisão anunciada pelo presidente Júlio Mendes após a goleada sofrida este domingo frente ao Sp. Braga

A histórica derrota por 0-5 no dérbi minhoto frente ao rival Sp. Braga foi o fim de linha para Pedro Martins em Guimarães. O treinador sai do Vitória, anunciou o presidente Júlio Mendes após uma breve reunião com o técnico no final do jogo.

"O 'mister' Pedro Martins não é mais treinador deste clube", afirmou o dirigente, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, após o jogo da 23.ª jornada do campeonato.

Já na flash-interview após o encontro, Pedro Martins tinha dito que ia "assumir todas as responsabilidades".

Derrota pesada para o Vitória SC, que desde que se viu a perder, e depois de ter ficado reduzido a 10 unidades, nunca mais conseguiu reagir e acabou por ser goleado ante um SC Braga que esteve matador na finalização.

Antes do jogo houve momentos de grande tensão.

O anúncio da saída de Pedro Martins, que se encontrava no clube desde a última temporada, eleva para dez os despedimentos de treinadores na edição 2017/18 da Liga.

Foram dez as saídas, mas apenas sete os clubes a mudarem de treinador, sendo que Desportivo das Aves, Paços de Ferreira e Moreirense já trocaram por duas vezes de técnico.

O último tinha sido o Moreirense, que na terça-feira oficializou o regresso de Petit, após a saída de Sérgio Vieira. A equipa de Moreira de Cónegos já tinha também deixado de contar com Manuel Machado, à décima jornada.

Na presente edição do campeonato, também trocaram duas vezes de treinador o Paços de Ferreira, que começou a época com Vasco Seabra, prosseguiu com Petit e é agora orientado por João Henriques, e o Desportivo das Aves, agora orientado por José Mota, como coordenador técnico, depois de Ricardo Soares ter sido sucedido por Lito Vidigal.

Entre as 'chicotadas psicológicas' na I Liga, além das seis protagonizadas por estes clubes, contam-se ainda as saídas de técnicos de Boavista, Estoril Praia e Belenenses, com as entradas de Jorge Simão, Ivo Vieira e Silas, para os lugares de Miguel Leal, Pedro Emanuel e Domingos Paciência, respetivamente

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.