"No intervalo da final da Taça UEFA de 2005 já pensávamos onde íamos comemorar"

O defesa representou o Sporting e o Sporting de Braga, equipas que se defrontam amanhã em Alvalade para o campeonato, e pelas quais disputou duas finais europeias. Considera os leões favoritos e lamenta a saída de Peseiro dos minhotos

Sporting e Sporting de Braga, os dois clubes que representou e lhe dizem muito, defrontam-se amanhã...

São dois grandes clubes e não há dúvida de que o Sporting de Braga tem sido a quarta melhor equipa portuguesa, dificultando a vida aos grandes. Mas o Sporting é sempre favorito, podendo até aproveitar alguma instabilidade do Braga, com a saída de José Peseiro e a eliminação de duas competições. É verdade que o Sporting também foi eliminado das competições europeias, mas acho que já deu a volta com o excelente jogo que realizou na Luz - apesar da derrota - e com a vitória em Setúbal para a Taça.

É um jogo decisivo para o Sporting, atendendo que poderá ficar a sete pontos do líder em caso de empate e a oito se perder?

É cedo para fazer contas e os atuais cinco pontos de distância para o Benfica não são nada! Oito pontos já seria diferente, de facto... Mas acho que o Sporting tem 90% de hipóteses de ganhar! Vou estar no Alentejo a assistir ao jogo, torcendo por uma vitória do Sporting.

Acha que o Sporting está mais fraco do que na época passada?

Talvez esteja um pouco mais fraco, principalmente devido às saídas do João Mário e do Slimani. Aquele meio-campo formado pelo William, Adrien e João Mário era fabuloso! E o Slimani marcava muitos golos... Felizmente, o Bas Dost tem aparecido bem, marcando em quase todos os últimos jogos e penso que as coisas têm tendência para melhorar.

Como acha que os jogadores do Sporting de Braga irão reagir à saída de José Peseiro?

Os jogadores devem ser sempre profissionais, independentemente do treinador com quem trabalham. Mas talvez os menos utilizados ganhem um acréscimo de motivação e certamente tudo irão fazer para mostrar que merecem jogar mais.

Conhece bem José Peseiro, com quem chegou à final da Taça UEFA em 2004-05 pelo Sporting. É justo o rótulo de perdedor que lhe é associado?

Não me parece nada justo e aliás lembro que foi com José Peseiro que o Braga ganhou a sua única Taça da Liga. As pessoas não podem exigir ao Sporting de Braga que seja campeão! Se fizermos uma análise, percebemos que os plantéis que ele tem tido à sua disposição nos clubes por onde tem passado talvez não sejam tão fortes como os que outros treinadores tiveram. Cresci como jogador com ele, os treinos eram muito divertidos e transmitia-me muita confiança.

O que acha da escolha de Jorge Simão para suceder a Peseiro?

Penso que é uma boa escolha. Tem demonstrado ser um bom treinador nos clubes por onde tem passado, deixando-os normalmente na primeira metade da tabela. Agora estava a fazer um grande trabalho no Chaves, como se vê pelo sétimo lugar no campeonato e pela eliminação do FC Porto na Taça de Portugal. Desejo-lhe muito sucesso, pois tenho muito carinho pelo Sporting de Braga.

O Miguel também foi finalista derrotado da Liga Europa ao serviço do Sporting de Braga, com o FC Porto, em 2010-11. Mas a derrota com o Sporting na final de 2005 custou-lhe mais?

Sem dúvida! Saímos para o intervalo a ganhar por 1-0 ao CSKA Moscovo e já estávamos a pensar onde íamos comemorar a vitória. Lembro-me de que os russos só fizeram um remate à baliza e do meio da rua. Mas depois do intervalo deram a volta e ganharam por 3-1. Ficámos arrasados, claro, ainda para mais porque quatro dias antes tínhamos perdido o campeonato na Luz. Ainda bem que a época estava a terminar e pudemos ir de férias para limpar a cabeça e regressar em força na temporada seguinte. Mas aquela semana foi um autêntico martírio para treinarmos!

E como lembra a derrota na final com o FC Porto, ao serviço do Sporting de Braga?

Apresentámo-nos nesse jogo com a ambição de ganhar. Lembro que ganhámos ao Sevilha e ao Celtic no play-off de acesso à Liga dos Campeões e que na fase de grupos fizemos nove pontos, chegando a derrotar o Arsenal... Caímos para a Liga Europa e eliminámos equipas como o Liverpool, o Dínamo Kiev e o Benfica. A final foi muito equilibrada, quase não houve lances de perigo, excetuando o golo do FC Porto e uma oportunidade do Mossoró, isolado em frente do Helton.

O que acha de João Pereira e de Baiano, os dois defesas direitos que amanhã deverão ser titulares por Sporting e Sporting de Braga?

São excelentes jogadores. O João Pereira tem feito um percurso extraordinário, primeiro no Benfica, depois no Sporting de Braga e agora no Sporting. É um futebolista com muita experiência e que acrescenta muito à equipa ofensivamente. O Baiano tem sido titularíssimo do Braga nos últimos anos, sempre com boas exibições, defendendo bem e dando profundidade ao ataque. Mas se tiver de optar escolho o João Pereira, pois penso que é um pouco mais completo e beneficiou de uma melhor formação. Evoluiu muito taticamente com o Jorge Jesus.

O Sporting não festeja o título desde 2001-02. O que explica este jejum?

Na minha altura houve épocas em que estivemos muito perto de nos sagrarmos campeões e só não o conseguimos porque faltou uma pontinha de sorte. Também houve alturas de grande instabilidade, com muitas mudanças de treinador e lembro-me de que, quando estava no Braga, chegámos a terminar uma época à frente do Sporting. Penso que as coisas melhoraram muito com a chegada de Bruno de Carvalho. O clube está mais estável e os adversários sabem que já não é como há alguns anos, em que podiam ambicionar a bater-se de igual para igual. Agora é muito difícil qualquer equipa ganhar ao Sporting e acredito que o título de campeão será uma questão de tempo, nesta época ou na próxima. Torço muito por isso, pois serei sempre do Sporting, que já era o meu clube antes de eu ir para lá.

E como encara o atual momento do Sporting de Braga?

É um clube que teve uma evolução enorme na presidência de António Salvador. O seu trabalho está à vista de todos e penso que não se lhe pode pedir mais. Há alguns anos alguém imaginaria que o clube poderia chegar à final de uma competição europeia ou bater-se de igual para igual pelo título de campeão nacional?

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.