Naval 1º de Maio suspendeu futebol

A Naval 1.º de Maio, da Figueira da Foz, clube que disputou a I Liga de futebol durante seis épocas e que estava relegado para os distritais de Coimbra, suspendeu a atividade de formação e da equipa sénior

A informação foi esta sexta feira confirmada à agência Lusa por pais de atletas e por um treinador das camadas jovens, a quem quinta-feira foi comunicada, verbalmente, a decisão, que afeta as equipas de iniciados, juvenis e juniores da Naval 1º de Maio - todas a disputar competições nacionais - e a equipa sénior, que tinha sido inscrita na Divisão de Honra distrital da Associação de Futebol de Coimbra (AFC) pela Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do clube da Figueira da Foz.

"Chamaram-nos para uma reunião e disseram-nos que a Naval não tem capacidade financeira para competir e deixa de ter futebol", disse Mário Couceiro, treinador da equipa de juvenis.

De acordo com a mesma fonte, a informação foi transmitida aos técnicos e pais dos atletas por Vera Azul - que a Lusa não conseguiu ouvir -, dirigente do clube fundado em 1893 e a quinta agremiação mais antiga do país.

"A solução será começar um clube novo, não há nada a fazer", adiantou Mário Couceiro, numa alusão aos problemas financeiros e vazio diretivo do clube, que há anos não tem uma direção, não reúne a assembleia-geral e cuja quase totalidade dos elementos da comissão administrativa ou saiu ou está demissionária.

Já Marco Figueiredo, que até à última época desportiva possuía funções no futebol de formação da Naval e na comissão administrativa, disse que as equipas de futebol de formação "transitaram todas para o clube novo", a Associação Naval 1893, emblema apresentado publicamente no verão e constituído por antigos sócios e dirigentes da Naval.

Marco Figueiredo, que é vice-presidente da Naval 1893 disse ainda que o departamento de futebol de formação da Naval 1.º de Maio também "transitou todo" para o novo clube, que possui equipas em todos os sete escalões de formação distrital e uma equipa sénior na primeira divisão distrital da AFC.

Fonte da AFC afirmou, por seu turno, que a associação que rege o futebol no distrito de Coimbra não tem ainda conhecimento oficial da suspensão de atividade da Naval 1º de Maio e que, se esta não for formalizada, as equipas serão eliminadas das respetivas competições após três faltas de comparência consecutivas.

Fonte da Federação Portuguesa de Futebol disse à Lusa que a Naval já informou que vai falhar os jogos deste fim de semana dos campeonatos nacionais jovens, entre os quais o jogo de juniores com o Benfica.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.