Espanha despede Lopetegui a dois dias da estreia com Portugal

Depois do anúncio de que Lopetegui será o treinador do Real Madrid na próxima época surgiram dúvidas sobre a sua continuidade à frente da seleção espanhola

A um dia de começar o Mundial de Futebol e a dois de se estrear na competição, frente a Portugal, a Federação Espanhola anunciou o despedimento de Julen Lopetegui.

As dúvidas sobre a continuidade de Lopetegui surgiram depois do anúncio de que o espanhol será o treinador do Real Madrid na próxima época.

"Vimo-nos obrigados a prescindir do selecionador", anunciou Luis Rubiales, agradecendo ao treinador tudo o que fez para levar a Espanha até ao Mundial. No entanto, o responsável não adiantou nada sobre substitutos, limitando-se a dizer que "vão tentar mexer o menos possível" - "quando soubermos algo comunicaremos".

O responsável da Federação explicou que o selecionador, como trabalhador da Federação, "não pode fazer as coisas desta maneira", acrescentando que a estrutura foi informada de que Lopetegui seria treinador do Real apenas cinco minutos antes do anúncio oficial.

"Desejo o melhor a Julen Lopetegui, mas não podemos permitir o que aconteceu. Teria sido uma irresponsabilidade não atuar", concluiu Rubiales.

A saída terá sido muito complicada para os jogadores: "Foi um momento duro, despediu-se dos jogadores, com o qual tem muitos laços, mas tinhamos de tomar esta decisão", insistiu Rubiales. Apesar das dificuldades, o responsável garantiu que os jogadores compreenderam e lhe transmitiram o seu "máximo empenho".

Lopetegui chega ao Real Madrid para a sua quarta experiência como treinador de clube, depois de ter passado pelo Rayo Vallecano (2003/04), Real Madrid B (2008/09) e FC Porto na época 2014/15 e 2015/16, sendo que nesta última temporada foi despedido após 25 jogos.

O percurso do técnico de 51 anos conta ainda com passagens nos escalões jovens da seleção espanhola, onde se sagrou campeão da europa de sub-19 e sub-20.

Em 2016, depois de ser despedido no Porto, assumiu o comando da seleção A espanhola.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.