Espanha despede Lopetegui a dois dias da estreia com Portugal

Depois do anúncio de que Lopetegui será o treinador do Real Madrid na próxima época surgiram dúvidas sobre a sua continuidade à frente da seleção espanhola

A um dia de começar o Mundial de Futebol e a dois de se estrear na competição, frente a Portugal, a Federação Espanhola anunciou o despedimento de Julen Lopetegui.

As dúvidas sobre a continuidade de Lopetegui surgiram depois do anúncio de que o espanhol será o treinador do Real Madrid na próxima época.

"Vimo-nos obrigados a prescindir do selecionador", anunciou Luis Rubiales, agradecendo ao treinador tudo o que fez para levar a Espanha até ao Mundial. No entanto, o responsável não adiantou nada sobre substitutos, limitando-se a dizer que "vão tentar mexer o menos possível" - "quando soubermos algo comunicaremos".

O responsável da Federação explicou que o selecionador, como trabalhador da Federação, "não pode fazer as coisas desta maneira", acrescentando que a estrutura foi informada de que Lopetegui seria treinador do Real apenas cinco minutos antes do anúncio oficial.

"Desejo o melhor a Julen Lopetegui, mas não podemos permitir o que aconteceu. Teria sido uma irresponsabilidade não atuar", concluiu Rubiales.

A saída terá sido muito complicada para os jogadores: "Foi um momento duro, despediu-se dos jogadores, com o qual tem muitos laços, mas tinhamos de tomar esta decisão", insistiu Rubiales. Apesar das dificuldades, o responsável garantiu que os jogadores compreenderam e lhe transmitiram o seu "máximo empenho".

Lopetegui chega ao Real Madrid para a sua quarta experiência como treinador de clube, depois de ter passado pelo Rayo Vallecano (2003/04), Real Madrid B (2008/09) e FC Porto na época 2014/15 e 2015/16, sendo que nesta última temporada foi despedido após 25 jogos.

O percurso do técnico de 51 anos conta ainda com passagens nos escalões jovens da seleção espanhola, onde se sagrou campeão da europa de sub-19 e sub-20.

Em 2016, depois de ser despedido no Porto, assumiu o comando da seleção A espanhola.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?