Kenedy é o novo treinador do Leixões

O técnico sucede a Filipe Coelho e estreia-se num escalão profissional em Portugal

A SAD do Leixões, da II Liga de futebol, comunicou hoje ter rescindido de forma amigável com a equipa técnica liderada por Filipe Coelho e anunciou a chegada do novo treinador, Daniel Kenedy.

Num comunicado publicado na página oficial do clube na internet, a SAD informa "que chegou a acordo para a rescisão amigável dos contratos com a equipa técnica formada por Filipe Coelho, Vasco Matos, João Batista e Paulo Ferreira".

Na mesma nota informativa, a SAD adianta ter contratado "para o comando técnico da sua equipa sénior o treinador Daniel Kenedy, que será coadjuvado pelos treinadores João Crespo, António Carvalho e João Araújo, mantendo-se na estrutura o atual treinador de guarda-redes, Nuno Santos".

O antigo jogador do Benfica e da seleção portuguesa já orientou o treino de hoje, que decorreu em Fão, uma vez que o relvado do Estádio do Mar vai sofrer uma intervenção para ser melhorado, aproveitando o facto de o próximo jogo em casa ser apenas no dia 27 de novembro, diante do Santa Clara.

"A administração da Leixões SAD informa os associados e simpatizantes que, na sequência do pedido de demissão do atual presidente Paulo Antunes, será constituído um novo Conselho de Administração que será formalizado na assembleia geral da Leixões SAD, agendada para o próximo dia 30 de novembro", acrescenta o documento sobre a outra demissão, também hoje formalizada.

Com 13 jornadas decorridas, o Leixões ocupa o 20.º e antepenúltimo lugar da classificação, com nove pontos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.