Iranianos pedem desculpa a Ronaldo por festa em frente ao hotel

Grupo de adeptos esteve a cantar junto ao hotel da seleção nacional em Saransk. O barulho foi tal que Cristiano Ronaldo apareceu à janela a pedir para se calarem e a federação pediu ajuda às autoridades

O Twitter e o Instagram de Cristiano Ronaldo foram "inundados" por pedidos de desculpa de adeptos iranianos depois de serem conhecidas imagens do jogador português a pedir ao grupo que estava a entoar cânticos de apoio ao adversário desta segunda-feira da seleção nacional - 19.00, em Saransk - para se calarem pois queria ir dormir.

Frases como "sou iraniano, gosto muito de ti e peço-te desculpa por essas pessoas que foram incomodar-te a meio da noite" ou "desculpe por esse grupo de amigos que estão empolgados com a seleção iraniana". Há também quem peça desculpa pela festa dos adeptos, que estiveram junto ao hotel onde a seleção está alojada cantando e com o acompanhamento de vuvuzelas, garantindo que esse grupo não "percebia o que estava a fazer".

Os festejos foram de tal ordem que a Federação Portuguesa de Futebol teve de pedir a intervenção das autoridades que criaram um perímetro de segurança para afastar os adeptos iranianos da unidade hoteleira.

Os pedidos de desculpa chegaram mesmo ao Instagram de Georgina Rodriguez, a namorada de Ronaldo, com a garantia de que os adeptos iranianos gostam de Ronaldo e que "más pessoas há em todos os países".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.