Fugiu de Cuba, assinou pelo Benfica e pode vir a competir por Portugal

Pedro Pichardo, vice-campeão mundial do triplo salto e detentor da quarta melhor marca da história, desertou de Cuba, decidiu viver em Lisboa e representar os encarnados. E pode estar nos Jogos de Tóquio a representar Portugal

O cubano Pedro Pablo Pichardo, de 23 anos, é a grande contratação do atletismo do Benfica para esta temporada, visando já a conquista da Taça dos Campeões Europeus num futuro próximo. O detentor da quarta melhor marca de sempre do triplo salto (18,08 m) e um dos cinco únicos saltadores a conseguir ultrapassar a barreira dos 18 metros é assim o substituto de Nelson Évora, que no verão protagonizou uma saída polémica para o Sporting.

Na semana passada foi notícia por ter desertado do estágio da seleção cubana, que decorria em Estugarda, na Alemanha. Desde então muito se especulou sobre o futuro de Pichardo, que falhou os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro devido a lesão, mas ao que o DN apurou, o saltador optou por radicar-se em Portugal assinando contrato com o Benfica, quando tinha propostas de clubes da Turquia e de Espanha. Segundo fonte próxima do processo, o atleta tomou a decisão depois de conhecer as instalações e a estrutura de apoio dos encarnados, ao qual aliou o facto de Portugal ser um país seguro e tranquilo para viver.

A decisão de deixar Cuba leva a que Pichardo esteja impedido de entrar no país durante um período de oito anos, razão pela qual para competir nas grandes provas internacionais (Jogos Olímpicos e Mundiais) terá agora de optar por naturalizar-se por outro país, algo que Portugal poderá beneficiar...

Em Lisboa, o atleta cubano irá ser treinado pelo pai, Jorge Peralta, professor de Educação Física, que o ensinou a saltar quando era criança. Aliás, os problemas com a Federação Cubana de Atletismo iniciaram-se há três anos quando se incompatibilizou com o treinador, o que lhe custou um castigo de seis meses. Mudou depois de técnico, mas uma microfratura num tornozelo impediu-o de ir ao Mundial de Portland e também aos Jogos Olímpicos do Rio, numa decisão tomada pelos médicos da federação cubana, quando o atleta entendia que podia suportar as dores para competir nos Jogos do Rio.

Agora, o seu objetivo são as próximas Olimpíadas, marcadas para Tóquio em 2020, que até poderão ser com as cores de... Portugal.

Este é um processo demorado, no qual a cidadania só poderá ser requerida após três anos de residência em Portugal. Até lá, segundo os regulamentos da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), só poderá competir oficialmente pelo Benfica mediante uma autorização da Federação Cubana, algo que este organismo não tem recusado fazer em relação aos muitos atletas que decidiram desertar.

O DN contactou Jorge Vieira, presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, sobre a possibilidade de Pedro Pichardo poder representar as cores nacionais nos Jogos de Tóquio. E o dirigente não fechou as portas: "A federação está interessada em todos os atletas com nacionalidade portuguesa e que tenham alto nível. Neste momento não temos interesse em Pedro Pichardo porque tem nacionalidade cubana, mas somos um país multiétnico com muitas origens, por isso este atleta terá de percorrer todo o caminho, e se for vontade dele representar Portugal, admitimos a possibilidade de o termos a representar a seleção."

Pichardo otimista para o futuro

Com apenas 23 anos, Pedro Pichardo é há muito considerado uma das grandes esperanças do triplo salto. O título mundial de juniores em 2012 e a medalha de prata nos Campeonatos do Mundo em 2015, em Pequim, à frente de Nelson Évora, foram momentos importantes na sua ainda curta carreira e que fazem que este cubano tenha potencial para conseguir bater o mítico recorde mundial de Jonathan Edwards.

No momento em que decidiu dar um novo rumo à sua vida e carreira, Pichardo disse estar "muito contente por vestir a camisola do Benfica, garantindo que se sente "física e mentalmente bem", razão pela qual está determinado a "voltar a saltar mais de 18 metros". "Acredito que conseguirei voltar a fazê-lo", frisou. Fernando Tavares, vice-presidente do Benfica para as modalidades, deixou a certeza de que "esta contratação não representa um desvio do rumo em relação à aposta na formação".

A estreia de Pichardo pelo Benfica está prevista para o meeting do clube da Luz, agendado para o dia 17 de junho, no Estádio do Inatel, em Lisboa, contando-se ainda que participe em outros meetings internacionais de águia ao peito.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.