EUA, México e Canadá ganharam organização do Mundial de 2026

A competição vai dividir-se por 25 cidades norte-americanas, quatro canadianas e três mexicanas

A FIFA anunciou esta quarta-feira que o Mundial de 2026 se realizará nos EUA, México e Canadá. A candidatura conjunta destes três países recebeu 134 votos em 200 e derrotou assim a de Marrocos.

É a primeira vez que uma candidatura conjunta de três países ganha a organização de um Mundial - já houve de dois -, uma escolha da FIFA que une países que estão momento no meio de guerra comercial e não só, já que o tema das migrações tem causado problemas diplomáticos entre México e Estados Unidos.

O presidente norte-americano apoiou o projeto conjunto e os EUA já deram garantias de que não vão bloquear as entradas no país de cidadãos de alguns países.

A competição vai dividir-se por 25 cidades norte-americanas, quatro canadianas e três mexicanas. É o regresso do Mundial à América do Norte, desde 1994, quando o campeonato se realizou nos EUA.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".