Griezmann dá vida ao Atlético em jogo de sofrimento em Londres

Colchoneros jogaram com dez desde os nove minutos e conseguiram um empate 1-1 com o Arsenal. Marselha perto da final

O Atlético de Madrid e o Marselha deram esta quinta-feira passos importantes para atingir a final da Liga Europa, que realiza em Lyon no dia 16 de maio. Os espanhóis foram a Inglaterra arrancar um precioso empate a uma bola diante do Arsenal, enquanto o Marselha recebeu e venceu o RB Salzburgo, a grande sensação da prova, por 2-0.

Em Londres, a equipa de Diego Simeone, que afastou o Sporting nos quartos-de-final, fez um jogo heroico, pois logo aos nove minutos viu o lateral croata Versaljko ser expulso, por uma entrada dura sobre Lacazette. Desde 22 de outubro de 2013, quando Herrera foi expulso num FC Porto-Zenit, que não se via uma expulsão tão madrugadora num jogo das competições europeias.

Esta decisão do árbitro francês Clément Turpin que causou uma enorme revolta entre os colchoneros, nomeadamente do próprio Simeone, que foi também expulso.

A partir desse momento, o Arsenal exerceu uma grande pressão junto da área do Atlético, que foi evitando o golo dos ingleses graças à enorme determinação dos jogadores colchoneros. O intervalo chegou com um empate a zero, que premiava o esforço dos espanhóis.

Os gunners acabaram por chegar à vantagem aos 61 minutos, graças a um golo de cabeça de Alexandre Lacazette, que ganhou nas alturas aos centrais adversários, após um centro bem medido de Jack Wilshere. A grande capacidade de sofrimento dos jogadores do Atlético acabou por ser premiada aos 82 minutos, quando Antoine Griezmann aproveitou uma bola bombeada, beneficiou dos erros dos centrais do Arsenal, Koscielny e Mustafi, para bater o guarda-redes David Ospina e fazer rebentar a festa entre os muitos adeptos colchoneros. Na bancada, Simeone era o espelho da felicidade, com festejos bem efusivos, afinal a sua equipa deixa o Estádio Emirates com o sonho bem vivo de chegar à final.

Este resultado é, afinal, uma má notícia para Arsène Wenger que, a poucos dias de deixar o comando técnico do Arsenal, está na iminência de nada ganhar este ano. É que nas sete vezes que empatou 1-1 em casa numa eliminatória, só por três vezes conseguiu o apuramento (Juventus em 1980, Auxerre em 1995 e AC Milan em 2008).

Marselha mais perto do sonho

No Estádio Vélodrome, com um ambiente frenético e com recorde de assistência, o Marselha manteve bem vivo o sonho de chegar a uma final europeia 14 anos depois., ao vencer o RB Salzburgo, que tem sido a equipa sensação da prova, por 2-0. Thauvin abriu o marcador logo aos 15 minutos, aproveitando uma saída em falso do guarda-redes para cabecear para a baliza, num lance em que a bola ainda roçou o braço do avançado francês.

Contudo, os austríacos não se atemorizaram com a desvantagem e criaram vários embaraços aos marselheses, que só na segunda parte (63") fixaram o resultado pelo camaronês Clinton N"Jié, que tinha entrado em campo instantes antes.

Este foi o terceiro jogo entre estas duas equipas na Liga Europa, pois defrontaram-se na fase de grupos, com o Salzburgo a levar a melhor em casa e a empatar no Vélodrome. Agora, foi a vez de o Marselha, carrasco do Sp. Braga nos 16 avos-de-final, alcançar um triunfo que alimenta o sonho do clube do sul de França em voltar a vencer uma prova europeia, depois de ter conquistado a Taça dos Campeões em 1992/93.

A segunda mão destas meias-finais disputam-se na próxima quinta-feira, mas para já Atlético e Marselha estão em boa posição para seguir em frente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG