Governo pretende aumentar representação feminina no desporto até 2030

O Governo "acredita muito que o desporto português só vai crescer até 2030 através do reforço da representação feminina".

O Governo pretende aumentar o número de mulheres a praticar desporto para que, em 2030, Portugal possa atingir a média europeia em termos de igualdade de género, disse esta quarta-feira o secretário de Estado da Juventude e Desporto.

"A igualdade de género é uma prioridade do Governo", afirmou esta segunda-feira João Paulo Correia, em declarações aos jornalistas, em Coimbra, onde decorrem as comemorações do Dia Paralímpico Nacional, no âmbito do 14.º aniversário do Comité Paralímpico de Portugal.

Para chegar a 2030 dentro da média europeia, o Governo constituiu um grupo de trabalho "entre as áreas da igualdade e do desporto, que em janeiro apresentará propostas de políticas públicas e recomendações às organizações desportivas", acrescentou.

O grupo de trabalho é coordenado por Leila Marques, que foi Chefe de Missão aos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020 "e é uma defensora da causa da igualdade no desporto".

Segundo o governante, o Governo "acredita muito que o desporto português só vai crescer até 2030 através do reforço da representação feminina".

"Queremos ver mais mulheres no desporto, não só em número de atletas, mas sobretudo nos lugares de poder. Todas as modalidades que irão crescer até 2030 serão aquelas que apostarem no desporto feminino", sublinhou.

O secretário do Estado do Desporto e Juventude considerou que Portugal tem condições para, no prazo fixado, chegar à média europeia "nas mulheres como líderes e presidentes de organizações desportivas, treinadoras nas várias modalidades, como árbitras e também nos lugares mediáticos do desporto".

João Paulo Correia anunciou ainda que, dentro de poucas semanas, será celebrado o contrato-programa com o Comité Paralímpico de Portugal para que, pela primeira vez, os atletas paralímpicos tenham financiamento igual aos atletas olímpicos durante todo o período de preparação e participação.

"Esse é um esforço e um objetivo que o Governo tinha e foi a primeira vez que o Governo aceitou financiar, por completo, o valor proposto pelo Comité Paralímpico", salientou o governante, frisando que a "inclusão social através do desporto e do desporto adaptado são uma prioridade do Governo".

O apoio do Governo para a preparação e participação nos próximos Jogos Paralímpicos Paris 2024 vai ser de 9,2 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG