Golo de Rapahël Guerreiro coloca Dortmund no terceiro lugar da Bundesliga

A equipa treinada por Thomas Tuchel garantiu a vitória no terreno do B.Mönchengladbach por 3-2, com o golo da vitória a ser marcado pelo internacional português

Um golo do português Raphaël Guerreiro garantiu este sábado o triunfo por 3-2 do Borussia Dortmund no terreno do Borussia Mönchengladbach, em jogo da 30.ª jornada liga alemã de futebol, e permitiu à equipa subir ao terceiro lugar.

O golo apontado pelo internacional português permitiu ao Dortmund somar 56 pontos, mais um que o Hoffenheim, quarto classificado, que na sexta-feira empatou a um golo com o Colónia.

Marco Reus, de grande penalidade, colocou o Dortmund em vantagem, aos 10 minutos, mas ainda antes do intervalo (43) Kars Stindl restabeleceu a igualdade.

Logo no início da segunda parte (48), o Borussia Mönchengladbach ficou em vantagem na sequência de um autogolo de Marcel Schmelzer.

Pierre-Emerick Aubameyang mostrou ter sido uma aposta acertada, ao apontar o golo da igualdade, apenas dois minutos depois de ter substituído Marco Reus, aos 57 minutos.

A jornada fica para já marcada pelo segundo empate consecutivo do líder Bayern de Munique, que no domingo o Leipzig, segundo classificado, reduzir a distância para seis pontos.

Depois de há semana ter empatado sem golos com Bayer Leverkusen e de na terça-feira ater sido afastado da Liga dos Campeões pelo Real Madrid, a formação orientada por Carlo Ancelotti voltou a perder pontos, empatando a dois na receção ao Mainz.

A jornada fica completa no domingo com a receção do Friburgo ao Bayer Leverkusen, e com a visita do "sensacional" Leipzig ao Schalke 04.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.